Como falar com um cara que você gosta na escola

Por exemplo, se ele gosta de assistir aos jogos de basquete na escola, vá assistir a um jogo de vez em quando. Se o garoto ama música, apareça ocasionalmente na loja de discos que ele costuma frequentar. Esbarre com ele na academia. É muito provável que ele venha puxar assunto com você se a encontrar durante a prática de um hobby em comum. Na era dos emojis, nada diz mais do que uma carinha apaixonada. Se uma imagem diz mil palavras, o emoji certo pode dizer 1001. Se você não sabe o que falar, às vezes, usar um emoji que mostre o que você está sentindo pode ser a melhor maneira de puxar assunto. E a partir daí descobrir o que você realmente quer saber: se o sentimento é ... Como Falar com uma Garota na Escola. As garotas às vezes podem parecer um pouco estranhas ou intimidadoras, principalmente se você não tem o costume de falar com elas. Se você está paquerando uma menina, deve estar morrendo de ansiedade... Como Fazer um Cara que Você Não Suporta Parar de Gostar de Você. Tem um cara que você não está interessada e que simplesmente não se toca? A falta de reciprocidade pode gerar uma situação desconfortável quando uma pessoa gosta da outra. Voc... Como falar com um cara que você gosta através de mensagens de texto Enviar mensagens de texto para um cara de quem você gosta muito pode deixá-lo muito nervoso. A pressão para encontrar tópicos de conversação e achar divertido e interessante pode deixar nervosas até as garotas mais seguras. Na sala ela tem o grupinho dela é eu tenho o meu, ela fica me olhando bastante e pro meu melhor amigo também, temos muito em comum, nasci no mesmo dia que ela 10/03, o que é bem incomum numa cidade pequena como Aracruz-ES, a melhor amiga dela fica me contando que a Emily ( garota que tô afim ) que ela gosta de mim, só que ela fala de um ... Você anda se perguntando “como saber se ele está gostando de mim?“, mas ainda não chegou à nenhuma resposta da sua pergunta?Hoje esta dúvida acaba. Quando um cara gosta de você, ele começa a dar sinais, pode ter certeza disso. Alguns sinais são óbvios, porque quando o homem tem atitude, ele normalmente fala na cara da mulher que ele está afim, ou simplesmente começa a dar em ... A arte de aprender a provocar um cara. Provocar um cara parece bastante simples, certo? Bem, é um pouco mais complicado do que o que você pode ter feito com sua paixão na escola primária. Provocar um cara em termos de namoro não é zombar de suas deficiências. Na verdade, aprender a provocar um cara é uma arte sutil. Trata-se de dar e ... Nós já demos aqui no El Hombre algumas dicas de como fazer amigos depois de adulto.Eis que vários adolescentes nos pediram para escrever, também, um texto focado em amizades na escola. É sobre isso que vamos falar hoje.Se você ainda está no colégio, mas tem dificuldades em se enturmar, continue conosco porque reunimos 13 conselhos que vão ajudá-lo a fazer novos amigos. Você pode achar que é besteira. Mas esse é um passo importantíssimo para conquistar o crush na escola. Aliás, não apenas na escola, né. A auto confiança e segurança própria criam uma capa que chama a atenção dos homens. Isso vale para os mais velhos e os mais novinhos também. Tenha imponência na hora de andar, de falar…. 😉

Sou homi e me apaixonei pelo meu melhor amigo parte 3 *fudeu tudo*

2020.09.10 20:22 erossama Sou homi e me apaixonei pelo meu melhor amigo parte 3 *fudeu tudo*

As outras partes postei aqui tambem
Então ante ontem eu tava puto é mandei um textao no Whatsapp dele falando sobre tudo , sobre a nova namorada dele ( uma puta digasse de passagem) , sobre traumas relacionado a nova namorada dele e amiguinhos dela ( ela falou que eu sofria bullying e o pessoal me zoava na escola pq eu era quieto ????) Sobre como ele foi um cuzao é que não teve atitude de homem e tava sendo infantil e que eu tava MT magoado já que ele disse que queria algo comigo só que dias depois da namorando uma vagabunda aí e finge que nada aconteceu e fodase pra mim e aí falei que a gente precisava dar um tempo na amizade para ambos refletirem sobre essa merda (Eu para esquecer dele e ele para perceber que é um arrombdo) é aí mandei a porra do textao.
Ele bravo começa a discutir comigo falando que n fez nada é eu tava sendo egoísta e ESTAVA COM CIÚMES, ( me poupe né ) ele nem leu o texto é falou: não vou levar essa merda e falou que tava nem aí (pode ser na zoeira isso mas enfim) ele começou a soltar as merdas dele falando que nunca fez nada de errado e que me considerava muito como amigo e que não gostava de homem e fez tudo na brincadeira ( acho que essa brincadeira foi um pouco longe né? ) é aí ele solta as merdas: ele contou sobre eu gostar dele pra namorada dele ( nessa parte eu comecei a chorar muito pq comecei a lembrar dos traumas que sofri e a merda que poderia dar , pq eu ja estudei com ela anos e ela já espalhou concerteza coisa minha aí, é meu OVO que ela n vai contar pra ninguém isso) Ele começou a zoar na conversa e meter o fodase falando que n tinha nada haver e que ele n fez nada de errado.... e aí eu já tava tentando segurar mas não deu chorei igual uma moça com o coração partido. Pqp chorei para um caralho mandei áudio chorando e tals e não deu em nada eu resolvi ignorar e fui dormir 60% puto e 40 % triste Amanheceu e ele falando que não queria perder a amizade e que era um irmão pra mim que ele nunca teve já que só tem irmã ( entrando na questão familiar ele fala que a família dele não gosta de mim pq não forao com a minha cara, pnc da família dele também) Ele pagando de coitadinho e falou que nunca perderia uma amizade de anos ( Eu falei só pra dar um tempo) e falou que ia colar na minha casa , é mdss sai da minha vida mlk do caralho eu não quero te ver filha da puta. Ele n veio ainda bem mas vai vim domingo se pa , vai vim aqui fingindo que nada aconteceu e metendo o louco pra mim. Ele mandando "saudades" nas minhas fotos e mandando toda hora mensagem no Whatsapp e eu resolvi responder falei que não queria falar com ele e que eu não consegui fqzer nada na porra do dia pq tava deprimido e triste e falei que quando eu tava dormindo eu pensei " se eu estivesse morto será que tudo isso acabaria " enfim eu mandei isso é ele falou "Ahhh para de graça " Enfim ele me magoou muito pq parecia não se importar com meus sentimentos e que parece que me manipulou esse tempo todo. Não adianta eu me afastar dele pq ele mora aqui do lado e ele vai em todo lugar que eu vou e meu grupo de amigos ele tá também e ele sabe onde eu moro então já sabe..... Eu também queria esquecer disso é manter amizade dele igual antigamente quando a gente jogava futebol e apenas nos divertiamos porém agora eu sinto raiva e tristeza só de pensar nele Nos somos ou éramos melhores amigos... Ele é meio infantil e nunca teve uma conversa séria comigo provalvemente pq tem vergonha e medo então n espero MT dele quando ele vier falar comigo
Eu quero saber as opiniões de vocês e saber oque eu faço nessa situação
Muito obrigado por lerem e pau no cu dele que eu tô puto
submitted by erossama to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.09.02 02:23 pedrozinhu1902 Ela me iludiu, fodeu meu psicológico, e vc ainda tá defendendo ela? (é longa demais, mas vale a pena)

Oi Lubito, Luna, gatas, tia Carminha, tio Otto, Jean, 6º andar, papelões (RIP), Editheus, Tucho, e turma que está a ver, hoje vou contar uma das minha infinitas histórias, mesmo q eu só tenha 14 aninhus. A história se passa em momentos separados de fevereiro de 2019 até o carnaval desse ano, onde encontrei uma guria da minha sala, e ela perguntou pq eu n tava falando com a (vou expor mesmo) Bianca depois de tudo q eu fiz pra ela. Eu fiquei tipo excuse me wtf. Vamos voltar pra fevereiro de 2019, comecinho do ano letivo, e tb das aulas te teatro, onde eu conheci a Bianca. Em julho, uma amiga minha, (vamos chamá-la de Luna) me falou que ela gostava de mim, só q na época eu não sentia nada por ela. Em setembro, mudei de turma da escola, depois de uma crise de depressão que durou do fim de julho até começo de setembro (sofro da doença desde 2017, devido ao bullying que sofri naquela época e da morte do meu pai em 2013). A nova turma era a da Bianca (não gostava mais de mim na época), da Luna e da Farls (outra amiga minha importante pra história). Em outubro, eu comecei a gostar da Bianca, que era uma das minhas melhores amigas na época, mas comecei a evita-la pq doía estar perto dela. No meio de novembro, anunciaram um passeio pro Beto Carrero (bjos de floripa, lubixco) e seria numa quarta aleatória lá. Na segunda dessa semana, havia um "aulão", mas ninguém tava prestando atenção, e geral tava no celular, inclusive eu. Estava falando com um amigo, que tinha dormido na minha casa sábado, e falei pra ele que gostava da Bianca naquele dia. Como se já não fosse tudo ruim o suficiente, na festa de Halloween da galera eu ganhei uma pequena fama de juntar uns casaizinhos por aí, (quase nunca falhei kk) e como um bom amigo, esse cara, vamos chama-lo de Bombom, pediu minha ajuda pra ficar com a Bianca, SABENDO QUE EU GOSTAVA DELA. Fui falar com a Farls, pq sempre falo tudo pra ela. Ela não respondia por mensagem, então eu liguei pra ela no meio do aulão kk. Antes dela poder falar tp "alo", eu falei "Farls, o Bombom gosta da Bianca, q q eu faço?" Quando eu vejo, a Bianca tava sorrindo e feliz, quando eu percebi que a Farls tinha deixado o celular no fucking viva voz. O Bombom e a Bianca combinaram de ficar no Beto Carrero. Na terça, eu pedi pra Farls falar pra Bianca o seguinte: "tem certeza que quer ficar com o Bombom? Têm duas pessoas que podem se machucar com o isso. Eu não posso falar quem é, mas o Gordo (ela não realmente falou gordo, mas eu preciso de um nome falso pra mim mesmo) sabe e talvez ele te fale. Depois da aula, eu encontrei a Bianca e falei o seguinte: "então, uma das pessoas sou eu", e ela disse: "eu sei, mas eu quero saber quem é a outra pessoa". Basicamente ela tacou o fodase. Eu saí dali triste e tals. Chegou quarta e o passeio foi adiado por causa de chuva. Na data nova (segunda) eles não ficaram. Na quarta, depois do teatro, ela queria falar comigo, mas eu saí correndo. Quando cheguei em casa, vi que tinha uma mensagem dela dizendo que gostava de mim também. Fiquei feliz obviamente, falei no grupo de amigos que tinha criado p me ajudarem a superar isso tudo, foi dormir sorrindo. Aí chegou quinta, e ela me diz q também gosta de 2 outras pessoas (o Bombom e o Nicolas, tb nome falso). Falei no grupo, eles falaram pra ignorar e ficar c ela d qualquer jeito, na festa da turma, que eu tava organizando. No meio da festinha teve um verdade ou consequência, onde deu literalmente tudo errado. Caiu verdade pra mim, e a Farls perguntou se eu gostava da Bianca (que tava na roda), eu disse que sim. Aconteceu a mesma coisa com ela, que também disse que sim. MAS, aí uma guria drogada da minha sala, desafio a Bianca a dar um beijo nela mesma. Elas se beijaram, eu saí dali, e a Farls veio atrás, me acalmou, me explicou q tudo era só pelo jogo e tal, e que tava tudo bem. Tava tudo certo, eu e a Bianca íamos ficar, mas eu tava tendo um ataque cardíaco (bv é foda) e pedi um tempo pra me acalmar. Depois de 30 min, fui lá pra trás, num lugar onde o pessoal geralmente ficava, e esperei por ela. Depois de uns 20 minutos, ela aparece chorando, e eu, claro, fui muito atencioso, abracei ela e tudo. Aí a Farls aparece e fala o seguinte: "a Bianca tá chorando pq o Nicolas vai ficar com alguém". Eu só saí dali. Em conclusão, ela gostava mais dos outros dois do que de mim, enquanto eu amava ela. Ela falou pra um monte de gente uma versão completamente errada da história, onde eu fodi tudo. Hoje ela quer voltar a ser minha amiga, e eu só mando os amigos que a gente têm em comum tomar no cu, pq bloqueei ela e eles que passam recado.
Expliquei essa versão pra guria do carnaval, e ela falou q eu tava mentindo.
Depois dessa história eu provavelmente nunca vou confiar em alguém o suficiente e nunca vou me achar suficiente pra alguém gostar mais de mim do que de qualquer outra pessoa, e por causa disso vou morrer sozinho. Bjos Lubixco, e Bianca, se tiver assistindo, eu te odeio com o fundo do meu coração, aquele órgão que você destruiu de mim.
Edit: O Nicolas não ficou com a outra guria, pq ele gostava da Luna, que gostava do Bombom
submitted by pedrozinhu1902 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.25 03:17 mfctxt Transfobia é uma merda meu deus

Bem, enquanto eu estava pensando sobre o assunto que eu vou fazer esse textão gigante, e milagrosamente esse subreddit foi recomendado pra mim, então vou jogar tudo que anda passando pela minha cabeça de uma vez.
Primeiramente, preciso contar a história toda. Uns dois anos atrás, eu acabei conhecendo uma pessoa incrível e a gente começou a namorar. Webnamoro, aquilo que a galera tanto gosta de zoar kkkk. Cada uma era de um estado, mas era um do lado do outro. Então quando contei para minha família, e eles ficaram felizes com isso, acabava que a gente com certa frequência (uma vez a cada três meses)
Cara, foi uma experiência incrível. A gente se encaixava muito bem, gostava de falar sobre as mesmas coisas, adorávamos a companhia uma da outra, vimos filmes, jogamos, passeamos juntas, e mesmo que teve umas vezes que eu realmente fiz umas merdas por ser inexperiente e infantil, ela era alguém que eu realmente tinha um puta carinho, tinha como um dos meus principais objetivos fazer ela bem, e esperava que a gente pudesse continuar durante um bom tempo.
As coisas começaram a caminhar para como estão agora quando ela se assumiu como uma mulher trans. MAS NÃO É ISSO QUE VOCÊS TÃO PENSANDO!!! Isso era algo que me deixou feliz pra caralho, porque era algo que eu já conseguia sentir a muito tempo que era o que ela sentia (desde que a gente começou a ficar junto), e ver que ela se sentia eufórica e se sentia BEM com isso (ainda mais porque ela sofria e ainda sofre de depressão), nossa foi bom demaaaais.
Então, o problema vem é da minha família. Eu já sabia que eles eram anti-lgbt, porque já vi eles criticando essas coisas, e quando uma vez eu falei pros meus amigos em call no Discord (em 2017) que um dos meus personagens (sou desenhista e aspirante a escritora por sinal kkk) tinha um namorado, minha mãe veio me crucificar, e eu tive que afirmar e reafirmar que eles eram só amigos. E no final, ela disse que "meu pior pesadelo seria se você fosse assim". Naquela época eu já sentia que me atraía por mulheres, mesmo sem saber especificamente o que eu seria, ai já senti meu mundo caindo.
Mas voltando a onde estava antes, eu tinha ido visitar ela na casa dela durante janeiro desse ano. Foi um momento muito incrível e singular, porque como o pai dela não tem nenhum preconceito e até apoia pessoas transgênero, finalmente eu podia tratar ela do jeito que ela gostava, e ela também (mesmo que eu use ela/dela, eu sou uma pessoa agenero. Só não consigo usar muito a neolinguagem).
Voltando pra casa que o problema começou. Depois que eu voltei, eu me sentia horrivel em voltar aos padrões cisnormativos, e como ela já estava começando a mudar um pouco a aparência, seria muito arriscado a gente se encontrar de novo. Então eu tomei uma decisão que ao mesmo tempo era necessária e me traumatizou muito: eu fui comtar para minha mãe.
Cheguei falando que precisava falar algo com ela, mas engasguei uns 15-20 minutos e ela começou a ficar muito preocupada, achando que sei lá, me abusaram sexualmente ou algo assim. Mas quando eu falei "Ah, sabe X? Não é ele... É ela..." minha mãe praticamente virou a chave. Passou a odiar uma pessoa que no dia anterior ela confiava e ficou muito feliz que eu fui bem tratada em sua casa, gritou comigo pra caralho, começou a chorar falando que a vida DELA estava arruinada (claro que não seriam os queers que estariam fudidos, mas sim a Cishet) e tomou a decisão de que a gente não deveria ficar junto mais, e mesmo que falou que a gente poderia ser amigas, odiava toda vez que a gente conversava, e até hoje desconfia se a gente ta junto)
Tentamos continuar as escondidas até março, mas com tanta desconfiança, chegou um dia que foi impossível e a gente teve que terminar. Foi um dos dias que eu mais me senti horrível, porque era alguém que eu via um futuro que a gente tinha uma vida junto. E o dia que fez isso piorar foi quando descobri que ela estava com outra pessoa, porque mesmo que eu sabia que não tinha nenhuma maneira de continuar com o que eu sonhei, eu ainda era apaixonada e me sentia um pedaço de bosta total por ter uma família que não aceitava a gente.
Eu fiquei desde abril/maio (minha mente meio que me faz esquecer detalhes de memórias que me fazem mal, então não lembro exatamente quando começou) até metade desse mês sem conseguir fazer nada. Minha vida se tornou ficar o dia inteiro deitada na cama, jogando ou vendo tokusatsu, ou remoendo todas essas memórias horríveis. Eu parei de desenhar, parei de usar reses sociais, até desinstalei whatssap e discord uma hora. A quarentena pelo menos não me forçava a ir pra escola, que é umas duas horas da minha cidade, mas ela sugava mais ainda minhas energias, já que não tinha nada para fazer. Cada vez mais eu comecei a ficar distante dos meus amigos, porque é um círculo que minha ex e a atual dela estão, e onde meus amigos também tão conseguindo melhorar em suas habilidades, também encontrando suas paixões, e basicamente positivos pra cacete, enquanto eu sentia que tava cada vez mais afundando num fosso. A única hora que eu não me sentia assim era justamente com Persona 5 ou com Super Sentai, que eu conseguia desligar minha cabeça dos problemas e vivendo nos mundos das histórias.
Para deixar claro, eu não odeio ela, e nem quero nem fudendo colocar a culpa nela. Pelo contrário, é uma pessoa que eu tenho muito carinho, e que ela ainda parece ter por mim. Nós duas sabemos que isso foi algo muito horrível e ninguém queria que tivesse acontecido. Porém aconteceu, e cada uma tem que seguir sua vida agora. A diferença é que eu não consigo sair do lugar que eu estou, e eu me odeio por isso. Eu me sinto horrível por não ter direito de amar quem eu quero amar, por querer ter a aparência que eu me sinta bem, ao invés desses surtos que eu tenho ao olhar no espelho por ver que meu corpo é feminino demais (e nao ajuda que no meu quarto o guarda roupa TEM UM FUCKING ESPELHO GIGANTE). Eu sinto muita inveja das pessoas conseguindo seus relacionamentos, enquanto eu vivo com o medo de ser maltratada de novo. Fico me sentindo horrivel por querer voltar a 2019 (que foi um ano incrível pra mim, depois de 2017 quando minha tia morreu, e 2018 que foi a vez da minha bisavó) enquanto parece que agora ta todo mundo mais feliz.
Muitas horas eu acabei pensando sobre o que seria caso eu me matasse. Se desse certo, se não desse. Só uma vez que eu tentei me machucar de algum jeito, mas o medo de descobrirem algum corte, arranhão ou mordida era tão grande que não fiz nada nem perto de grave (só uns cortes minúsculos nos dedos que era justamente pra fingir que era acidente na cozinha). Porém, só de chegar a ter esses pensamentos eu fiquei com medo para caralho, e tinha muito medo de falar pros meus amigos porque vai que eles me julgavam por sofrer por causa de algo de 7-8 meses atrás?
Eu não sei se é algum tipo de depressão, ansiedade, ou sei lá o que que eu estou passando. Não posso pedir para ter uma consulta em um psicólogo, porque a última vez que eu fui foi porque eu IMPLOREI pra ir após minha mãe brigar comigo lá em janeiro, então se eu falar novamente, eu tenho um puta medo de novamente brigarmos e voltar a desconfiança e tudo mais. Então vim parar aqui, porque eu tive uma recaída ultimamente e não conseguia me concentrar em mais nada enquanto não jogasse pra fora.
Desculpa se acabou saindo algo confuso.
submitted by mfctxt to desabafos [link] [comments]


2020.08.08 00:13 cahzinea Sou babaca por convencer minha prima a terminar um namoro que eu arrumei?

Eai luba, editores, e pessoas aleatórias que estão lendo isso, essa história n é minha porem participei dela, e graças ao incentivo dela estou postando aq.
Bem essa história começou no final de 2018, a personagem principal dessa história é Rainara, eu e ela estávamos um dia no meu quarto falando baboseira quando mandei uma mensagem para o meu amigo Carls (que é o meu vizinho,ou seja, consigo ver a janela dele do meu quarto) então pedi pro corno mostrar a cara, até q Rainara que bate bem da cabeça ameaçou tacar um ovo na casa dele, bem parece que isso conquistou o coração de Carls pq ele pediu o número dela.
Bem se passou um ou dois meses n lembro direito e ele pediu ela em namoro por um jogo online, acontece que os pais de Rainara são muito rígidos e não deixam ela namorar, então acabou sendo escondido, eles só se viam quando íamos buscar o irmão de Barls (outra prima nossa) na escola, bem acabou que os pais descobriram e proibiram ela até perdeu o celular por uma semana, bem mesmo assim ela insistiu, eu lembro q no começo todos do grupinho gostavam do casal e tals.
Bem vamos para o primeiro termino deles, bem como moramos juntas ela apareceu aqui e pediu ajuda para terminar com ele pois não estava sentindo mais nada por ele, além dele fazer pressão psicológica para Rainara conversar com os pais e pq ele rebaixava ela, Rainara é uma pessoa insegura e n gosta de ter briga com ninguém, então a parte dela acabou sendo bem calma, porem no meio do termino ele virou um nice guy, falando que a culpa era toda dela, que ela n fazia nada pela relação, que ela nunca iria achar alguém melhor q ele, e soltou uma pérola maravilhosa que foi a frase –“Sua mente tem medo, seu coração me ama, escolha o seu coração”- bem no dia foi isso como eu e Carls estudamos na mesma escola achei que ele estaria muito mal no dia seguinte, porem ele apareceu como se nada tivesse acontecido e de acordo com a minha amiga ele falou pra ela q eles apenas haviam brigado e que já estavam bem. Quando eu cheguei da escola falei isso pra ela, e vamos para o segundo termino, dessa vez foi em chamada de voz enquanto eu estava la só ouvindo, e no meio dessa novo termino eu conheci um novo lado do Carls que nunca havia visto, ele estava praticamente gritando, culpando ela e agindo de maneira estupida, e no final ele exigiu que ele fosse la em casa para terminar cara a cara e que se ela n deixasse ele ir de tarde ele iria de noite no momento que os pais dela estariam em casa, eu acho que essa exigência foi somente pra tentar convencer ela porem n deu certo.
Agora vamos para o ponto principal da história eu ninja como sou descobri que eles haviam voltado DE NOVO e como eu sabia que esse namoro não fazia bem para ela por conta dele ser um babaca, fui conversar e tentar convencer ela a acabar com isso, nesse dia tive uma conversa séria com ela a esse ponto todo mundo do grupinho já sabia q eles tinham voltado e todo mundo foi contra, bem demos avisos mais n forçamos nada, pois a vida é dela, porém ainda ficamos de olho. Umas semanas depois ela me chamou de novo e falou que n aguentava mais a pressão que ele fazia sobre ela (coisa q ele falou que iria mudar), ela me mostrou várias conversas que mostrava o quão toxico e possessivo ele era, a ponto dela não poder falar sobre nenhum amigo, além dele falar que ela n era grande coisa, que se fosse por corpo ele nunca ficaria com ela (sendo q ele nem é lá essas coisas) e falava várias outras coisas que deixavam ela com baixa autoestima, ai eu falei muitas coisas pra ela, que era para terminar pois isso não era saudável e dessa vez ela pediu para eu terminar, ou seja, eu fiz um texto até que calmo para a situação, no começo ele falou que já que era assim ele n ia insistir, porem depois de alguns minutos conversando ele começou a implorar muito. No final ela acabou bloqueando ele porem o Carls foi procurar ela no facebook e no final eles acabaram voltando de novo porem terminaram depois de uma semana, o infeliz ainda foi mandar mensagem para eu pedir para a Rainara desbloquear ele, além de ir na frente da escola dela pra eles conversarem oq n aconteceu. Esses dias ele foi tentar conversar com ela no discord e acabou em block.
Essa é a história e as vezes me sinto um pouco culpada por ter passado o número dela. Vocês acham que eu fui babaca por ter meio que forçado ela a terminar?
submitted by cahzinea to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 15:27 Umbixofeio " Não tô nem aí pros nudes, deixava que eu descobrisse sozinha"

Oi Lubinha, turma linda que está a ver, editores fantásticos, gatas maravilhosas, falecidos papelões, não sei se tem convidado, mas enfim... Oi kkk
Queria contar a vocês uma história que, fez eu me distanciar de uma parcela do meu grupo de amigos e separar um casal (que aliás eles voltaram recentemente, mas enfim.)
Contexto (tentarei ser breve):
Na escola eu andava com um grupinho de amigos que conheço desde os meus 4 anos de idade, sempre foi muito divertido a nossa relação e companheirismo.
Dentro desse grupo tem uma garota a Azul.
Azul é uma pessoa extrovertida e sentimental, quando ela gosta de alguém ela realmente se entrega e quase todos os namorados dela, desprezaram dessa entrega que ela fazia.
O namorado de azul, chamaremos de White, vacilou várias vezes com ela. Eles viviam de idas e vindas, já terminaram várias vezes por assuntos diversos, porém sempre voltavam.
Agora vamos para a história propriamente dita:
O ano era 2019, Azul e White estavam juntos e pareciam melhores do que nunca, mesmo eu não gostando da forma que minha amiga sofria com aquele cara, estava feliz de ver ela sorrindo.
O tempo foi passando e as coisas estavam ótimas, até que um dia, pós aula de educação física, eu tinha acabado de sair do banho e percebi que, havia um grupo de meninos envolta de alguém, não sabia o que era, e quando fui ver, o White tava mostrando nudes de alguém, no momento suspeitei que poderia ser minha amiga, mas esperei pra ter certeza.
Quando ouvi aquilo eu corri para o box, me troquei e fui pra sala, encontrei Azul no seu lugar de sempre, pedi pra conversar com ela, no final da aula, ela concordou, mas ficou assustada.
A aula passou e esperamos todos saírem da sala, para conversarmos.
Eu agarrei ela e segurei, dava pra perceber que ela tava chorando, ela parecia muito mal, mas eu acho que deveria contar logo tudo...
Ela me empurrou e olhou pra mim...
Ela saiu da sala, depois de um tempo eu fui também, a questão é que... Depois disso alguns amigos meus disseram que eu deveria cuidar da minha vida e outros que eu fiz a coisa certa. Sinceramente, acho que podeira ter ficado calado, mas era minha amiga, não queria que ela ficasse mal.
E sim eles terminaram, mas voltaram e terminaram de novo, e agora estão juntos de novo... Aparentemente eles vão viver nesse ciclo e eu não posso fazer nada, pois ela não quer falar comigo.
História clichê, mas ainda não sei ao certo se fui babaca ou não...
Bem... É isso, beijos! Obrigado por verem, me digam o que acham por favor.
submitted by Umbixofeio to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 04:22 MarcoDino O HEXÁGONO AMOROSO

Olá seres humanos não adaptados para 2020, olá Luba, pessoas que estão a ver este post que são demominados de turma (chega), olá gatas incríveis, restos de papelão e se eu aparecer no vídeo né, editor (COISA Q NUM VAI ACONTECER MASOK SKSK) Bom, minha história começa no meu.... Acho que 7 ano, não lembro totalmente, mas enfim, onde eu conheci minha Ex (vamos chamar ela de Chibi, pq ela é pequenininha, sem ofensa, claro) Chibi, ela se interessou por mim quando eu namorava uma amiga dela, a...... Rars, que tipo, sabe aquele namoro meio paia que só é coisa de momento e tals? Então, era isso, a gnt se conheceu nesse contexto. Chibi e eu namoramos por quase um ano, em volta de 8/9 meses, até que me mudei e fui para outra escola, onde foi nossos últimos meses de namoro. Conversa vai, conversa vêm, o namoro foi desfiando conforme os móveis da minha casa iam para outra, até que eu finalmente me mudei, foi aí que decidimos ir namorando (coisa que nunca dá certo), ao chegar na minha nova casa, obviamente fui transferido de escola, até pq a minha antiga era mt longe, foi onde conheci meus três amigos, Fars, Kars e a Lars, a gnt sempre saía juntos e tals, zoavamos, enfim, éramos um quarteto bem legal até. Nisso, eu ainda estava com a Chibi, e já não nos víamos a bastante tempo (cerca de 1 mês), ai minha amiga Rars (a mesma que me apresentou a Chibi e que por sinal era minha melhor amiga na época) pergunta como estão as coisas com a Chibi, eu respondi que estava tudo bem e que estava até andando, vendo as circunstâncias, enfim. Uns 5 dias depois, eu pergunto pra Chibi como ela estava no curso que ela estava fazendo, conversa vai, conversa vêm, ela me fala de um cara, mas assim, não foi tipo..... Passageiro sabe? Foi meio que na cara assim, ela marcou o nome dele meio q indiretamente, falando disso e aquilo, eu não sou idiota de reclamar e tals, mas sla, foi estranho. Me sentindo BEM GAIADO (corno, n sei se sabem o que é gaia né kks), vou falar com meus três amigos, e um deles, o Kars, diz que gosta da Lars, e eu tento arranjar um esquema pra ele, até pq eu gostava bastante dele e queria ver ele junto com Lars, e foi o que eu fiz, tentei, tentei e tentei, mas nada dos dois ficarem (nota:isso tudo sem o Fars saber), se passam alguns dias, e o Fars fala que também gosta de Lars, e eu, amigo legal como sou, tento "convencer" Lars a ficar com ele também, chega um ponto em que o clima está muito pesado, apenas eu no meio do tiroteio de mãos atadas, depois de um tempo tentando arranjar os esquemas, Lars fala que não quer ficar com nenhum dos dois, algo que realmente me deixou chateado, não por causa dela ter recusado eles, mas pelo o tempo que jamais terei de volta, enfim, depois de uma boa semana (e se lembre, me sentindo corno) resolvo dar o troco naquele sentimento que a Chibi me fez passar, fui até Lars e tentei fazer um esquema para mim, pois eu já sabia o que ela gostava de tanto que eu tentei arranjar esquema pros outros dois, e deu certo, chegou um ponto em que eu traí Chibi com Lars (claro que eu fiquei num lenga lenga, mas isso é algo até bom, pq depois daquilo eu sou bastante direto no que falo), primeiramente me senti aliviado por só ter tirado aquela coisa da minha cabeça, talvez ser corno não seja tão ruim quando se está com um parceiro, não é? Depois senti que devia terminar com Chibi, até pq não estávamos conversando tanto, e já estava bem claro que não poderíamos mais namorar, foi aí que me vêm a mensagem dela, Chibi também queria terminar, o que não era tão assustador assim, CONVENHAMOS. Bom, terminamos, e eu segui meu rumo, passam umas semanas e eu tenho a notícia que Chibi começou a namorar aquele menino de quem tanto falava, e mais, Rars me disse que Chibi só estava comigo esperando ele terminar seu namoro, foi quando eu fiquei P*TO, disse para Rars contar que dei gaia na Chibi (sim, ela não sabia), até pq eu não estava com paciência e não queria falar com ela (coisa bem infantil), Rars conta para Chibi, que não fala mais comigo e começa a me odiar, obviamente, e então se passa cerca de 2 meses, aonde eu começo a namorar Nars, que por sinal foi realmente um ótimo namoro, mas que por conta da minhas condições (eu tenho um distúrbio mental chamado Borderline, que pfvr, se quiser me entender um pouco nessa história, pesquise um pouco, tá mais para personalidade, mas relevamos não é mesmo?), eu simplismente termino com Nars, pois não estava bem emocionante e precisava pensar. Um tempo passou e eu me encontro recuperado, tendo apoio de profissionais aos quais eu ainda tenho que ter, pois é algo que não posso controlar tão facilmente, então tento voltar com Nars, MAS CHIBI DESCOBRE ISSO, CONTA PARA TODO MUNDO O QUE EU FIZ (possivelmente não contando a sua parte, eu não sei), CRIA UM GRUPO AONDE TÊM SUAS AMIGAS ME XINGANDO E RIDICULARIZANDO, E POR FIM, DIZ AS SEGUINTES PALAVRAS (isso após uma longa discussão do quão ela e eu fomos babacas):
-Narns não precisa de você o abandonando, tendo você na cabeça o dia todo, ele se sente mal falando com você e suas palavras o machucam, se você o ama, deixe ele em paz.
Me estressei e discuti com ela por um longo tempo, até que paro de falar com Chibi e Nars. Um bom tempo se passa, e Nars me manda uma mensagem, pouco a pouco voltamos a ser amigos, mas comigo gostando dele, mas se sentindo culpado e não podendo falar o que sente, com medo de perder a amizade. Passa-se um tempo, as conversas desenrolando, aquele sentimento ainda ali, depois de (acho, eu realmente sou MT ruim de memória) 3 meses, eu me declaro para Nars. Hoje em dia, estamos namorando, eu e Chibi nos desculpamos e agimos de forma madura, assumindo os erros e realmente olhando para trás e dizendo o quão babacas nós tínhamos sido, eu e Nars reatamos (para ele não foi um tempo, mas para mim sim) e, pelo menos para mim, estamos a quase 5 meses juntos, o que me orgulho bastante de falar é que sou feliz com ele, infelizmente minha família não apóia minha decisão, por isso deixo em segundo plano, apenas treix primas minhas sabem e apoiam com toda força, ele e eu queremos nos mudar para bem longe, aonde realmente poderemos ser felizes, venho aqui contar essa história, pois sei que, se conseguirmos viver juntos, vamos olhar para trás e nos orgulhar e dar risada do que passamos. Desculpa essa melancolia e melação, mas eu amo ele, e ele me ama, me desculpa essa Bíblia, mas espero que seja um bom entretenimento. Obrigado se você leu até aqui, se eu apareci no vídeo, é uma honra estar aqui Luba, você é uma grande inspiração para mim e acredito que para muitos É isso, muito boa noite, tarde ou qualquer outro plano existente :3
submitted by MarcoDino to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.23 10:54 diplohora Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte IV - SUGESTÕES DE LEITURAS pt5 POR

Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte IV - SUGESTÕES DE LEITURAS pt5 POR
Não há melhor maneira de estudar Português para a primeira fase do CACD que resolver questões do Cespe. Para isso, sugiro criar um cadastro (há opção gratuita, embora limitada) no site http://www.questoesdeconcursos.com.br, ou buscar no banco de provas de concursos disponível no site http://www.cespe.unb.br. A justificativa para isso é que o Cespe cobra regras gramaticais diversas, que se encontram dispersas em diversas gramáticas (regras que, às vezes, contrariam o que algumas gramáticas dizem, mesmo as mais conceituadas). Com o tempo, dá para perceber certo padrão nos itens de gramática e de interpretação. Atenç~o especial para as regras “especiais” do Cespe em relação, por exemplo, a colocação pronominal (muito mais flexível, na primeira etapa, do que as gramáticas tradicionais propõem). Fazendo as provas, você perceberá que há uma incidência frequente de questões envolvendo: as orações subordinadas adjetivas, algumas expressões de erro frequente (“conquanto”, “posto que”, “porquanto”, “na medida em que”, “{ medida que”), o uso do acento grave (atenção especial para casos facultativos), as funções dos pronomes (oblíquos, relativos etc.), as funções das partículas “SE” e “QUE”. Atenção especial a esses temas mais recorrentes.
- Cespe: Português com Gabarito (Decio Sena): recebi a recomendação, mas não conheço.
Seguem algumas indicações de gramáticas:
- Nova Gramática do Português Contemporâneo (Celso Cunha): é uma das mais importantes e mais recomendadas obras de Gramática para a prova de Português do CACD. Para falar a verdade, não li quase nada, e não acredito que a parca leitura tenha ajudado de maneira significativa. Para a primeira fase, com relação a Gramáticas, eu destacaria a utilidade de estudar, principalmente, os temas: regras de pontuação20; processos de formação de palavras; figuras de linguagem (somente as principais; não costuma cair muito). Se você está enferrujado em Português e mal se lembra de classificação sintática, então, infelizmente, não há escapatória, e a leitura dos itens mais importantes da gramática é essencial (não precisa ler conjugação verbal e essas coisas mais idiotas também; confira, nas provas anteriores, quais temáticas de gramática já foram exigidas). Atenção: como dito acima, a colocação pronominal cobrada na primeira fase do concurso21 não é tão rígida quanto o conjunto de regras descrito nas gramáticas tradicionais.
- Moderna Gramática Portuguesa (Evanildo Bechara): outra gramática que já me foi recomendada, mas não tive contato com ela. De qualquer modo, acredito tratar-se de boa opção também.
Minha opinião sobre gramáticas: são muito boas se você não se lembra de muita coisa do que aprendeu na escola, para relembrar conceitos mais centrais (adjuntos, tipos de orações, objetos etc.), mas não fique só nisso. Repito: para a prova de Português da primeira fase, uma vez que você já dispuser dos conhecimentos básicos da matéria (o que uma leitura de uma gramática pode prover, da mesma maneira que a leitura de guias mais simplificados de gramática também pode ajudar – possível opção são as gramáticas simplificadas para concursos que há por aí, como a de Nilson Teixeira de Almeida), o que mais importa é treino. Há certo padrão de questões que o Cespe gosta de fazer. Depois de resolver muitas provas, chega um ponto em que você, só olhando o item, sem ler o texto, já sabe qual a resposta, por já conhecer o estilo de questão do Cespe.
Novo Acordo Ortográfico: Até 2011, o Cespe não cobrou a nova ortografia dos candidatos do CACD (nem na primeira fase nem na segunda). De todo modo, não há tanta mudança relevante para o concurso. O que se dizia no cursinho, com relação à nova ortografia na segunda fase, é: tudo bem que a ortografia velha ainda vale, mas, considerando que você vai fazer uma prova em que metade da avaliação é subjetiva, será que perceber que você não sabe a ortografia nova não pode contar como ponto negativo? Isso ninguém pode afirmar, às vezes nem mesmo os corretores percebem isso. Eu, mesmo, se leio uma notícia de jornal e vejo uma "idéia" acentuada, já fico meio receoso. Além disso, são tão poucas palavras que você pode usar da ortografia nova na segunda fase que não fica tão difícil assim. Ninguém vai conjugar verbos ou usar palavras cujo acento caiu (coo, veem, leem, enjoo, voo), ninguém vai abusar das palavras com hífen e todo mundo sabe as palavras mais básicas que podem vir a ser usadas (como ideia, europeia, infraestrutura...). No fim das contas, acho que a nova ortografia é o menor dos obstáculos da segunda fase. Se você sabe hífen direito, é só não usar. Por fim, como todo mundo sabe, as regras de redação da segunda fase não são necessárias para a terceira. Logo, na terceira, você pode pôr hífen onde não tem e misturar as duas ortografias, porque acho pouco provável que o corretor saiba também. Com relação à primeira fase, não sei como ficar após 2012. De todo modo, acho que n~o é a cara do Cespe cobrar um item como “a palavra ‘antiinflacionrio’ est escrita em desacordo com a nova ortografia da Língua Portuguesa”. Além disso, o alarde foi tão grande sobre o novo acordo, mas não entendo o motivo. Nem mesmo as regras mais gerais de hífen são tão difíceis de aprender. É óbvio que há as exceções, mas acho que as chances de perguntarem se “pé-de-meia” tem ou não o hífen não são muito grandes. Acho que muitas pessoas já criaram um bloqueio natural, algo como “esse novo acordo é muito difícil, n~o vou nem perder tempo, tentando aprender”, o que só piora as coisas. H diversos guias simplificados da nova ortografia na Internet. Uma alternativa é a página do Michaelis: http://michaelis.uol.com.bnovaortografia.php
20 Atenção para algumas regras que não usamos comumente, como a regra de uso (facultativo para a primeira fase, obrigatório para a segunda) de vírgula antes de orações subordinadas adverbiais reduzidas; para a segunda fase, cuidado com as vírgulas supostamente facultativas: um conselho (apenas para a segunda fase) é que, se há previsão possível de vírgula (ainda que facultativa), não a omita, senão você poderá ser penalizado por isso.
21 Tive um professor que dizia que as mesmas regras “mais frouxas” válidas para a primeira fase (quanto à colocação
pronominal) continuam válidas para a segunda fase, mas meus professores de Redação sempre cobraram a colocação pronominal prevista nas gramáticas. Assim, preferi não arriscar e observei as regras gramaticais tradicionais.
- Dicas da Dad e Mais Dicas da Dad (Dad Squarisi): não conheço os livros, mas incluo aqui apenas porque já vi recomendações de alguns aprovados há certo tempo.

>> SEGUNDA FASE

- Dicionário Houaiss: é recomendado pelos professores de Redação para os recursos à correção da segunda fase referentes a impropriedade vocabular.
- “Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa”: disponível no site da Academia Brasileira de Letras, em http://www.academia.org.babl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23
- Nova Gramática do Português Contemporâneo (Celso Cunha): atenção especial às temáticas mais erradas pelos candidatos na segunda fase: colocação pronominal, regência e uso da vírgula (com a ressalva de, nos casos em que se diz que o uso é facultativo, como adjuntos adverbiais de pequeno corpo, considerar o uso obrigatório).
- Comunicação em Prosa Moderna (Othon Moacyr Garcia): muito bom. Confesso que me surpreendi com o livro, uma vez que não esperava que fosse gostar muito de uma obra de linguística. É de leitura tranquila e possui várias informações úteis e interessantes. Ótima leitura inicial, recomendo fortemente. Est disponível para download no “REL UnB”.
Até 2010, havia, no Guia de Estudos, a indicação de leituras obrigatórias para a segunda fase. Já foram cobrados diversos autores tradicionais brasileiros, como Gilberto Freyre, Machado de Assis, Darcy Ribeiro, Sérgio Buarque de Holanda, Celso Furtado, Caio Prado Jr., Graciliano Ramos, entre outros. Mesmo quando havia tal indicação, duvido da utilidade prática da leitura das obras desses autores. Em primeiro lugar, alguns deles são muito grandes (como o Casa-Grande & Senzala, de Gilberto Freyre), e tempo é algo muito escasso na preparação para o concurso. Em segundo lugar, essa não é uma prova de leitura de texto de colégio. Não há perguntas sobre o enredo ou coisa parecida. Quando esses autores são cobrados na segunda fase, exige-se, apenas, a interpretação de trechos da obra, o que pode ser feito com base no pensamento geral do autor. Em terceiro lugar, nos cursinhos para a segunda fase, os professores tratam de todos esses livros e das principais ideias desses autores, o que é mais do que suficiente (nas últimas provas do concurso, todas as questões de interpretação poderiam ser adequadamente respondidas apenas com base na leitura dos excertos selecionados pela banca e nos conhecimentos transmitidos em sala de aula, nos cursinhos preparatórios). Para coroar a inutilidade de ler essas obras, o Guia de Estudos de 2011 suprimiu toda e qualquer referência a bibliografias obrigatórias. Fui para a segunda fase, sem haver lido sequer um livro dessa antiga bibliografia obrigatória. Acredito que foi ótima estratégia e não me senti nem um pouco prejudicado por não havê-los lido. Li apenas os dois volumes de Lourenço Dantas Mota e os três volumes de Samira Yousseff Campedelli, descritos a seguir (além das partes do Manual do Candidato: História do Brasil descritas abaixo e das apostilas de Literatura de ensino médio do Anglo). Como não tem caído Literatura diretamente, acho que qualquer bom livro conciso de ensino médio pode resolver. Atenção: só cai Literatura brasileira. Pule as partes de Literatura portuguesa.
- Introdução ao Brasil: um Banquete nos Trópicos – 2 volumes (Lourenço Dantas Mota): o livro refere-se à formação histórica brasileira, tratando de vários temas, como sociedade, cultura, economia, instituições, política, colonização, patrimonialismo, escravidão etc. O formato da obra é uma compilação de resenhas de obras clássicas da literatura brasileira. Os Sertões, Casa-Grande & Senzala, Raízes do Brasil, Visão do Paraíso, Formação Econômica do Brasil, Formação do Brasil Contemporâneo são algumas das resenhas de obras reunidas nos dois volumes da obra. A importância da obra de Lourenço Dantas Mota reside no fato de que, para os anos em que houve indicação, no Guia de Estudos, de obras de leitura obrigatória para a segunda fase, a grande maioria desses livros está incluída no Introdução ao Brasil. Ainda que não haja, atualmente, indicação de bibliografia, acredito ser boa fonte de conhecimento sobre essas obras, que podem ser cobradas na prova, direta ou indiretamente. Ainda que seja velho o argumento de que ler a obra é muito melhor que ler um resumo ou uma resenha, sabemos muito bem que, na preparação para o concurso, não temos tempo de sobra, para gastar com a leitura de dezenas de livros (ainda mais agora, sem indicação de bibliografia obrigatória). Além disso, os resumos são muito bons, então são mais que bem-vindos. Alguns capítulos estão disponíveis para download no “REL UnB”. Vale lembrar que não é necessário ler todos os capítulos dos dois livros. Destaco os capítulos:
· Volume 1: “Os Sertões”, “Casa-Grande & Senzala”, “Raízes do Brasil", “Formaç~o do Brasil Contempor}neo”, “Formaç~o Econômica do Brasil” e “Formaç~o da Literatura Brasileira”.
· Volume 2: “Vis~o do Paraíso”, “O Abolicionismo”, “Minha Formaç~o”, “Sobrados e Mucambos”, “Os Índios e a Civilizaç~o”.
- Literatura, História e Texto – 3 volumes (Samira Yousseff Campedelli): é um livro de Ensino Médio, mas foi muito bem recomendado pela professora Adriana Campiti, que dá aula em um cursinho preparatório para a segunda fase do CACD. Preferi as apostilas de Literatura do Anglo a esses livros, embora eles não sejam ruins (mas achei as apostilas mais completas). Os livros da Samira Campedelli podem ser facilmente encontrados em sebos (comprei na Estante Virtual, por R$10 cada). Ler com ênfase na Literatura brasileira (Literatura portuguesa não é objeto do concurso). Para o CACD, os volumes 2 e 3 são os mais interessantes. De todo modo, seguem minhas sugestões de leituras de todos os três volumes.
· Volume 1: ler apenas os capítulos 9 a 12;
· Volume 2: ler todos os capítulos, exceto o 2 e o 5 (sobre Literatura portuguesa);
· Volume 3: ler todos os capítulos, exceto o 3 (também sobre Literatura portuguesa).
- Iniciação à Literatura Brasileira (Antonio Candido): o conhecimento de Literatura, além de ser, às vezes, cobrado na primeira fase, pode ser útil tanto para as interpretações/análises/comentários quanto para o enriquecimento da dissertação na segunda fase. De qualquer maneira, se você tiver algum material mais resumido e mais prático de Literatura do Ensino Médio, acredito ser, também, boa opção. Não se esqueça, também, de que a Literatura brasileira pode ser exigida na prova de História do Brasil, nos tópicos “Sociedade e Cultura”. Uma questão da prova da terceira fase de 2006, por exemplo, pedia que se discorresse sobre as ideias que inspiraram o Movimento Modernista e sobre as principais contribuições de escritores brasileiros ao projeto modernista de 1922 a 1945. Minha recomendação seria, portanto, não deixar a Literatura de lado, mas sem se preocupar excessivamente (deixe para se preocupar mais com ela após a primeira fase do concurso). Uma leitura rápida dos aspectos gerais da Literatura brasileira, com atenção especial para determinados temas mais importantes, como Romantismo e Modernismo, deve ser suficiente. O livro de Antonio Candido, segundo recomendações que li e recebi, pode ser útil. A Editora da USP lançou, também, o Iniciação à Literatura Brasileira: Resumo para Principiantes, que está disponível para download no “REL UnB”.
- Leituras Brasileiras (Maria Veloso Motta Santos e Maria Angélica Madeira): já me disseram que é recomendável, mas não conheço.
- Manual do Candidato: História do Brasil (Flávio de Campos e Miriam Dolhnikoff): os capítulos “Sociedade e Cultura” (cap. 4 da Unidade I e cap. 4 da Unidade II), sobre as manifestações culturais no Império e na República Velha, podem ser úteis para a segunda fase, fornecendo importantes argumentos literários para a dissertação. Os capítulos são bem curtos e simples (obviamente, não são completos, mas possuem bastante informação útil e podem render boas anotações).
- Manual do Candidato: Português (Francisco Platão Savioli e José Luiz Fiorin): não li, mas me parece ser mais útil (ou melhor, menos inútil) que o livro do Evanildo Bechara (descrito abaixo). O manual não é de Gramática, mas sim de Redação (é por isso que está, aqui, como recomendação para a segunda fase, não para a primeira). Não li, por achar desnecessário e dispensável. Acredito que há coisas mais úteis e práticas para estudadar do que esse manual.
- Estudo da Língua Portuguesa: textos de apoio (Evanildo Bechara): já ouvi comentários a respeito, mas não li, por duvidar da utilidade prática da obra para o CACD. Além de ser uma obra extensa, não acredito que seja muito produtiva para os estudos.
- Machado de Assis: Ficção e História (João Gledson): recebi recomendações, mas não li. Sem indicação de leituras obrigatórias, não sei se é tão útil perder muito tempo com temas mais específicos, como detalhes da obra machadiana. Acho que livros mais genéricos (como os de ensino médio indicados acima) podem suprir essa necessidade.

https://preview.redd.it/i3plcupjmkc51.png?width=619&format=png&auto=webp&s=d04b214c6c48633b099d178a901d3fccd5f9ea11
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.07.11 20:37 darwinson-chan O dia que minha namorada me expulsou do armario

Olá lubixco, editores, papelões (ou restos deles...), possível convidado (q n deve existir pela quarentena), turma que está a ver ou ler e pspsps gatas (já que não olham mais pro luba, dêem atenção pra mim).
A história não é bem engraçada, mas talvez possa ajudar alguém ou até fazer algumas risadas... Espero que gostem!
"O dia que minha namorada me expulsou do armario sem querer"
Então para esclarecer, eu me descobri bissexual no 9 ano e comecei a namorar uma garota no médio. Nunca fui de pegar ninguém então acabou que ela foi minha primeira namorada e a unica pessoa que eu tinha beijado.
Eu e essa menina, que na época se chamava Isabele e é assim que a chamaremos aqui, tínhamos um relacionamento legal, assistiamos anime e, as vezes, íamos no shopping com algumas amigas (o que era mais uma desculpa que qualquer outra coisa, mas tudo bem). Mesmo assim ela ainda fazia algumas piadas sobre minha sexualidade, meio bifóbicas, tipo "bem que você podia ser 100% sapatao" ou "não precisa fingir ser meio hétero", enfim...
Quando tínhamos uns 2 meses de namoro, saimos em um rolê com umas amigas pro cinema. Estávamos sentadas na frente do Starbucks (ela com alguma bebida de lá e eu com a casquinha do Mc pq eu sou pão duro) enquanto as outras "compravam o ingresso" (provavelmente n queriam segurar vela ou estavam atras de algum boy).
Entao Isabele disse que tinha que conversar comigo. Ela tava meio estranha nas últimas semanas e eu já tremi na base, achando que tinha feito algo errado, que ela ia terminar comigo ou algo assim. Isso começou a me deixar meio nervosa (e eu tava meio instavel pela TPM).
Entao a Isabele falou algo tipo: "Eu nunca me senti bem comigo mesma sabe... nao me identifico muito com o meu genero..." então ela falou que estava questionando o próprio gênero (há algumas semanas ela confirmou isso). Eu falei que tudo bem, que ia gostar de qualquer jeito, que amaria elu independente do genero. Isabele disse que estava pensando também em mudar o nome e eu apoiei e taus (mas continuarei chamando elu por Isabele por pedido próprio para não expor).
Elu veio por trás para me dar um abraço, o que eu achei estranho pq como eu ainda não tinha "saido do armário" pra mt gente nao costumavamos ter essas demonstrações publicas e muitas pessoas achavam que éramos amigas. Dada a situação não me importei, NÃO É COMO SE ALGUÉM FOSSE ME RECONHECER. Então elu disse no meu ouvido...
Eu respondi que eu era bi, mas podia amar elu mesmo assim. Além disso, na minha cabeça, se eu fosse lésbica não poderia gostar delu, já que se identificaria com outro genero.
(Algumas pessoas consideram que bissexuais podem gostar apenas de dois gêneros e eu nao tinha certeza na epoca. Hoje já tenho mais certeza pois vi um vídeo de uma tiktoker que me representou( https://vm.tiktok.com/T6aeL). isso meio que me pressionava e me dava umas crises de identidade fodas. Mas tudo bem. )
Depois de uma breve discussão, que eu não lembro o q tínhamos falado, Isabele perguntou de novo, meio pra baixo meio irritade e falou que eu não podia ser bi se eu ainda gostasse delu. Eu, como a pessoa calma que sou, acabei gritando "não posso o car...valho!" E concluí "Pensei que te amar fosse o suficiente" e atraí um pouco de atenção, havia alguns grupos adolescentes próximos olhando (guarde essa informação, ela é bem importante).
Acho que elu ficou magoade com aquilo e eu me senti muito mal, mas qual o problema em eu ser bi? Além disso elu sempre soube que eu tenho muitos problemas quanto a isso e mesmo assim ao inves de ajudar com minhas crises fazia piada. Mesmo que não soubesse a real intenção, se Isabele estaria fazendo as piadas pra me acalmar ou talvez me fazer admitir ser lésbica. Enfim não sei
Anyway, eu não devia ter gritado, elu ficou brave e explodiu tb, dizendo que eu tinha preconceito com pansexuais por não me admitir ser. E do nada o assunto mudou "Aliás por que você não sai da porr* do armário, em cara***?! Não tem orgulho de sermos um casal? ".
Isabele queria muito que eu falasse pros meus pais, já tinha dito que se sentia mal em esconder isso. Os pais delu são de boa então ela contou pra elus e pediu pra manter segredo, mas eu não contei nem pra todos meus amigos. Elu queria muito se apresentar como meu namorade, mas eu sempre disse pra elu esperar e elu ficava chateadu.
Bem, até agora, Quem é o babaca? (Deixa nos coment com um * pra eu saber que está se referindo a esse momento)
Continuando: eu, que já sou chorona, naquele dia estava bem pior. Como eu sempre faço, sai correndo pro banheiro, bem clichê mas é.
Uns minutos depois a minha amiga, que vamos chamar de Ana, foi atrás de mim, me ligou. Eu tava trancada numa das cabines do banheiro, só atendi e falei que tava no banheiro e ela me achou por causa do tênis que eu tava usando, que tinha uma faixa de arco íris na sola (alias como ela viu o meu tênis sendo que eu tava na última cabine, nao sei. só espero que não seja do jeito que eu imagino).
Ela me acalmou e taus, naquele momento o que eu mais sentia não era ódio delu e sim de mim mesma, eu não tinha o porque de ter gritado, descontei nela os problemas das minhas próprias crises.
Enfim, o resto do role meio q miou né? Eu fui pra casa da Ana pq se meus pais me vissem com aquela cara iam perguntar. Eu tava digitando um textinho de desculpas quando ela me parou e mandou eu olhar o twitter no perfil de Isabele. Eu olhei e já notei de cara uma indireta: "Acho que fingir 'ser alguem que você nao é' é péssimo. Mas pior é mentir para os outros e continuar mentindo." Quem manda indireta no twitter? eu não uso muito, então não sei se é normal mas subiu o ódio de novo.
O dia não podia piorar né? Mas o problema é que a situação nao acabou aí.
Lembra que eu disse que tinham muitos adolescente lá? Então, acontece que esse shopping é perto do colégio onde eu estudo então geral vai la e entre eles estava uma aluna do colégio, vamos chama-la de Carls.
A Carls era da minha série e, como adolescente nao sabe cuidar da própria vida, não só contou pra umas amigas, como também filmou uma parte e postou no snap. Hoje me abomino por ter pintado metade do meu cabelo de vermelho pq provavelmente ela me reconheceu por isso. Sabe aquela garota que gosta de espalhar fofoca por aí e age como se não tivesse feito nada de errado? bem era a Calrs.
E como adolescente também adora uma fofoca ou jogar lenha na fogueira, de repente virou um rumor. Alguém tirou print e o negócio meio que espalhou. Lembro que naquele dia chegaram a colocar no stories do insta do colégio (o insta que é meio que um blog dos alunos do médio) uma enquete se nos shippavam ou não.
O twitter de Isabele era privado, o que talvez diminuiu o alcance, mas não o suficiente pra elu perceber o que estava acontecendo. O post foi suficiente pra confirmar que eramos nós brigando e tiraram print do post dela, então adiantou nada a conta ser privada. As pessoas das nossas séries perguntavam pra mim se era verdade, tratavam como se fosse um plot de uma série americana.
Enfim talvez esteja parecendo maior do que realmente foi mas, para dar uma ideia mais realista, boa parte do segundo do médio comentou sobre isso em algum momento (pq, por Isabele ser "diferente" e abertamente, as pessoas conheciam elu, a maioria inclusive apoiava) e alguns grupinhos de colegas que pelo menos me conheciam falaram comigo. Essa situação, por conta de alguns comentários no twitter (não muito gentis), chegou na coordenação, a orientadora foi legal, chamou a gente no fim da aula e disse que se houvesse qualquer preconceito podia falar com ela e taus. Isso tudo em uns 3 dias. A gente conversou com calma, eu ainda amava elu, mas não tinha muita certeza se deviamos voltar.
A situação chegou nos meus pais. Eu tive que explicar tudo pra eles. Não foi tão ruim, mas eu queria ter uma outra oportunidade ou sla. Fiquei de castigo por causa dos roles e por não contar, sem celular por uma semana.
Eu e elu tinhamos evitado nos falar na escola pra diminuir os boatos. Depois disso ainda não tínhamos nos perdoado totalmente, apenas evitamos. Eu fiquei com outras garotas e entao começou a quarentena (fazia pouco menos de meio ano desde todo esse role) e com isso as paranoias: Eu nunca cheguei a ficar com nenhum garoto, muito menos a namorar. Nao sei se sou pan, bi ou lésbica, até pq eu me meti numa situação em que meu companheiro se descobriu agenero no meio do relacionamento. Talvez eu seja lésbica e causei esse furdúncio pra nada?? Acho que essa situação colocou ainda mais pressão infelizmente e, sei lá, as coisas são confusas as vezes.
Semana passada Isabele me chamou no whats, conversamos e nos perdoamos devidamente e ainda sinto um sentimento por elu. Ai meu Deeeeus eu vou morrer sozinhaaa.
Enfim, espero que tenham gostado (foi mal pelo textao). Todos os que estão passando por essas crises de sexualidade, genero ou whatever, durante a quarentena, fiquem fortes, posso não ser a melhor pra dar apoio, mas tudo vai ficar bem. Desculpa pela historia longa
Beijos, =30
submitted by darwinson-chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.06 22:49 taegi_sanbr Meu primeiro beijo

Olá luba,luna e pessoas que estão lendo meu nome e kamilly e sou de Manaus vou contar uma história que me lembrei do nada normal da vida
Eu tinha 10 anos tava no 5°ano eu estava fazendo um curso que tinha aqui em Manaus para nosso último dia nesse curso o meu professor fez um acampamento no sítio dele ficamos só três dias(que parecia um ano)nós fazemos um monte de coisa que não queria ter feito com um exemplo matar uma galinha para gente comer e também ir o caminho andado não andando o caminho inteiro mas tipo ele parou o ônibus em uma avenida e nós fomos andando chegamos de noite (foi o pior dias da minha vida Jesus amado mas tudo bem)Ah esqueci de falar que eu fazia um curso militar já que estudava em colégio militar então eles deixaram um monte de criança que no máximo uns 9 e 13 anos no mato até que foi bem legal O problema é que tinha as pessoas do 7° ano eles falavam para as pessoas mais novas que eles mandavam em tudo isso me deixava muito incomodada eu sofri muito bullying infelizmente no último dia eles fizeram 5º ano se juntar com sétimo que fiz dupla com uma garota até aí tudo bem vou chamar essa menina de 'loli' eu e a Loli fomos pega fruta para gente fazer nosso café da manhã ela dizia que não queria ficar perto de pessoas mais novas porque dizia que as pessoas do sétimo ano iam olhar ela de cara feia isso me deixa um pouquinho triste já que ela era bem legal a gente chegou lá na cozinha e corta as frutas quando uma das amigas dela veio e dicio"já arranjou alguém para pegar"disse isso olhando para mim isso me deixou completamente envergonhada eu era muito eu não entendi o significado de "pegar" minha mãe sempre falou que eu não tinha que pensar nisso e eu não pensava mas eu queria ser amiga dela e ela aceitou era muito legal você é amiga dela as meninas do sete do sétimo fizeram uma festa do pijama e já que eu virei amiga da loli elas me convidaram fazer uma festinha do pijama quando eu cheguei lá elas queriam brincar de verdade desafio nós brincamos e brincamos até para mim e uma amiga da Loli Claro que eu não queria ser desafiada já que eu percebi que elas faziam desafios muito pesados então escolhi verdade ela disse"é verdade que loli gosta de você"eu respondi que não porque eu não sabia quando eu olhei para loli e ela tava com uma cara muito triste e isso me deixou desconfortável sabe eu nunca mexi nesse assunto sexualidade eu nunca gostei de ninguém eu sempre fui na minha otaku fedida eu e meus animes só isso ninguém gostava de min então isso era muito estranho pra min quando acabou a festa eu eu tentei para minha barraca mas a loli me puxou pra um cantinho e me disse "vc não e bi ou lésbica" eu disse que não sabia já que como eu disse não me perguntava sobre minha sensualidade quando eu disse isso ela tá com meus lábios isso foi muito estranho porque foi meu primeiro beijo então dentes foram presentes quando ela terminou de me beijar isso eu falei"desculpa eu não posso desculpa"daí eu nunca mais falei com ela sair daquela escola no 6° ano e foi para outra eu só vi ele esse ano quando fui pro 7° mais ele não olha na minha cara
Então essa história bem normal eu acha luba-sempai me note
submitted by taegi_sanbr to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.04 08:50 fuq_daniel Não consigo esquecer uma pessoa e seguir em frente com a minha vida

Eu tinha postado isso a um tempo no advice mas fui completamente ignorado, descobri esse em pt-br e espero que aqui seja diferente, desculpem a preguiça mas eu só fiz copiar e colar mesmo texto e joguei no tradutor, então se tiver algum erro espero que consigam entender o contexto, caso tenham alguma dificuldade o texto em inglês e "mais legível" está aqui, obrigado pelo tempo de vocês!

Em 2015 eu entrei no ensino médio, logo no início do ano eu vi uma garota de uma sala de aula que estava antes da minha aula, era como se eu me apaixonasse instantaneamente, nunca tinha sentido isso antes, mas sou muito tímida e insegura comigo mesmo e o tempo passou e passou e foi só depois de quase um semestre inteiro que tive coragem de entrar no quarto dela e ligar para meu colega para dizer que o professor estava chegando, felizmente o grupo de pessoas com quem ele estava falando era o mesmo grupo de amigos que essa garota e, em seguida, ele me apresentou ao grupo, e assim minha amizade com eles cresceu, a um nível em que passei mais tempo no quarto deles do que no meu, e um dia tive coragem de conversar com a garota Eu estava secretamente apaixonado, ela estava sentada na última cadeira com a cabeça sobre a mesa, então perguntei se ela estava bem e ela disse que não e que queria ficar sozinha. Entendi a mensagem e a deixei. com o passar do tempo, tentei conversar com ela e quando estava chegando perto do final do ano já éramos melhores amigas, como eu disse, passei mais tempo na sala de aula dela do que na minha, consequentemente não participei de aulas na escola e repeti o ano enquanto ela passava.

Em 2016 eu estava fazendo meu primeiro ano do ensino médio novamente e ela estava no segundo ano, ela começou a namorar e eu ainda não tinha falado sobre meus sentimentos, mas todo mundo sabia que, no fundo, eu gostava dela, eu era o cara que as pessoas apontaram e disseram que fizemos um ótimo casal, o cara que as pessoas apontaram e disseram "esse cara gosta dela", mas a única coisa que eu sabia fazer era negar esse sentimento, com medo de que, se eu me abrisse para ela, nós acabávamos nos afastando um do outro, e eu gostava tanto dela, que ainda me lembro de um pensamento que tinha naquela época: "Eu gosto muito dela, por poder estar perto dela, de poder vê-la todos os dias na escola, já me sinto a pessoa mais feliz do mundo ", um pouco depois aconteceu algo muito importante, eu estava tocando no celular dela e abri as conversas com o namorado no WhatsApp, eu tinha um amigo no do lado e ela começou a gravar um áudio dizendo que a garota que você gostava era muito gostosa e eu comecei a dizer simi Além disso, esse áudio deve ser cancelado, mas em vez de arrastar o dedo para o lado e parar de gravar, minha amiga tirou o dedo da tela e enviou o áudio. Naquela época, a função de excluir mensagens era apenas um sonho, e o namorado dela ouviu o áudio. Outro dia na escola, a garota que eu gostei estava muito chateada comigo e disse que tinha terminado de namorar, ela disse que acreditava que eles ainda estavam namorando, mas o tempo passou e passou e eles não namoraram novamente, e mesmo assim eu ainda não disse que eu gostava dela. O fim do ano estava chegando e, novamente, passei mais tempo na sala de aula dela do que na minha própria sala de aula, e não passei no ano novamente, e na escola que estava estudando na época, se você não passasse o ano duas vezes você será transferido para o turno da noite.

Em 2017, cursando o primeiro ano do ensino médio no terceiro ano e ela no último ano, mas no turno da manhã, participei de um quarto das aulas e depois pedi para me transferir para outra escola onde estudaria pela manhã e o horário para a minha aula ela terminava antes da aula da minha amiga, então quase todos os dias eu a visitava ao sair da escola, mas por alguns meses eu parei de visitá-la e, quando meu aniversário, na terceira semana de setembro, eu a visitei e felizmente consegui vê-la, ainda me lembro do abraço que ela me deu hoje, foi o melhor abraço da minha vida, fiquei tão emocionado com esse abraço que comecei a chorar e, a partir desse momento, as coisas começaram a mudar, ela me convidou para sair em 27 de novembro de 2017 e, naquele dia, tivemos nosso primeiro beijo, e logo depois ela disse: "Acho que se não tivesse feito, você não teria coragem de fazê-lo", e foda-se, ela estava certa, eu passaria o resto da minha vida escondendo esse sentimento.

Em fevereiro de 2018, começamos a namorar e agora eu tinha certeza de que era a pessoa mais feliz do mundo, finalmente estava namorando a pessoa com quem sempre queria estar, e assim o ano continuou, quando no final do ano a irmã que ela descobre que está grávida e, um pouco mais tarde, acaba perdendo o bebê, e então as coisas começaram a ficar complicadas, toda a atenção estava focada nela, um pouco mais tarde, no início de 2019, seu tio faleceu e, em seguida, os pensamentos e seus comportamentos depressivos começou a se intensificar e acabei na mesma situação, paramos de conversar com a mesma frequência e, no início de agosto, alguns dias antes de completarmos um ano e meio de namoro, encerramos o relacionamento e a partir daí tempo aqui eu tenho tentado esquecê-la, eu tive alguns relacionamentos rápidos durante esse período, mas nada que realmente me pegou, em janeiro deste ano eu conheci uma garota muito legal e em fevereiro começamos a namorar, fizemos bem, mas devido para COVID-19 e a quarentena, paramos de ver cada ot ela e eu entramos em uma depressão leve novamente, voltei a ter ataques de ansiedade e pensei que ela não merecia isso e na semana passada terminamos.

Embora todo esse tempo tenha passado e esteja prestes a completar um ano desde que terminamos, eu nunca consegui tirar essa garota da cabeça completamente, e sempre me pergunto se devo chamá-la para falar, sinto muita falta dela, não me sinto mal por perder uma namorada, me sinto mal por perder minha melhor amiga, preciso de conselhos para seguir em frente, o que devo fazer? Ligar para ela para conversar ou tentar seguir em frente com a minha vida? E se sim, como devo fazer isso? Estou quase desistindo de tudo
submitted by fuq_daniel to desabafos [link] [comments]


2020.06.24 05:05 saraharend SOU BABACA POR TERMINAR TUDO POR CAUSA DE UMA CONTA DA NETFLIX?

Olá editores, gatas, possível convidado, Luba e turma que está a ver. Deixo minhas saudações aos finados bonecos de papelão e à esplêndida barba que o Luba vai cortar (tomara que não rs). 🖖🏻
No momento em que conto ela ainda está acontecendo... (contei essa história pro Maicon mas ele cagou então venho contar para os meus irmãos turmênicos no purgatório da turma).
Sou uma garota hétero cis branca de 16 anos, moro no RS e faço CrossFit, começa por aí.
Eu estava em uma bela noite reclamando que ninguém se interessava por mim quando um cara (que vamos chamar de Carls) me mandou mensagem no Instagram puxando assunto, dizendo que me conhecia do CrossFit e tals. Eu já tinha visto o Carls algumas vezes mas nunca dei bola porque né!
Nós começamos a trocar ideia e ele perguntou se eu me interessava por caras mais velhos (ele me contou que tinha 24 e que estava de olho em mim fazia um tempo), eu dei uma enrolada nele e acabei com o papo ali.
Eu e minha mãe somos melhores amigas, assim conto tudo pra ela. Falei pra ela desse cara do CrossFit e que ele queria me conhecer melhor, ela disse que não tinha nada a ver ele ser mais velho já que o que importa é a mentalidade/maturidade (meu pai é 8 anos mais velho que minha mãe, eles são separados e moro com minha mãe, meu padrasto que considero mais pai que o meu próprio pai, e minhas duas irmãs).
Então começamos a conversar frequentemente e fomos nos aproximando mais. Carls me contou que estava procurando emprego e como conto tudo para minha mãe, ela já estava considerando contratar ele para trabalhar com ela no escritório (ela precisava para poder dar conta dos dois empregos). Então assim foi...
Detalhe: minha mãe trabalha de home office.
Carls me agradeceu muito e continuamos normal, só que agora iríamos nos ver todo dia.
Eu sou uma pessoa um pouco tímida, então sempre fugia dele quando ele tentava me abraçar e tals, ele sempre vinha atrás de mim. Ele nunca me falou muito da vida dele, mas eu pensei que por ele ter sofrido muito na vida (pelo o que ele me contou) relevei...
Assim acabamos ficando escondido, só com minha mãe sabendo (pra ser sincera não gostei muito, porque na hora no beijo ele bateu minha cabeça na parede).
Carls sempre me perguntava se eu queria namorar com ele e eu dizia que não, pois logo eu iria fazer intercâmbio e não sabíamos se ia dar certo um relacionamento à distância.
Ele era bem fofo comigo até! Como tinha carro, minha mãe pedia pra ele me levar pra cima e pra baixo, ele até me buscava na escola. Já me deu uma rosa branca e tudo mais.
Meu padrasto e minhas irmãs gostavam muito do Carls e alguns familiares já conheciam ele.
Quando começou a quarentena ele veio “morar” na minha casa, já que como minha mãe precisava muito dele para o trabalho ele poderia trazer o vírus pra nós se ficasse indo e voltando toda hora.
Assim ficamos BEM mais próximos... estávamos praticamente namorando! Eu e Carls sempre nos pegávamos escondido e víamos filme à noite (Nunca passou disso).
Mas aí que começa a desilusão...
Ele passou mais ou menos 1 mês aqui e sempre vi que ele usava a conta da Netflix de um amigo. Eu ria das séries que tinha nos assistidos porque eram bem de romance de menininha adolescente e outras que não condiziam com o tal do amigo.
Só que chegou um momento que minha mãe estava me contando que ouviu ele comentar da ex dele para ela. Ele terminou com a ex só porque tinha que se mudar pra cá (ele era do Rio). E mais outras coisas que ela me contou que demonstravam que ele estava mal resolvido com a ex... Uma hora ela soltou um nome muito familiar para mim e percebi que era o mesmo nome do “amigo” da Netflix.
Resumindo:
CARLS USAVA A CONTA DA NETFLIX DA EX PARA NÓS DOIS ASSISTIRMOS
Fiquei puta quando me dei conta e comecei a ser grossa com ele e cortar as asinhas quando ele vinha para perto de mim. Porque fala sério né!?
Tem gente que não gosta, mas eu preferia que ele tivesse me contado a situação com a ex antes...
Comecei a estudar para o vestibular de inverno, então passava o dia todo trancada no quarto e não falava mais com ele. A situação começou a ficar chata e ele perguntou o que estava errado, falei tudo e disse que podia ser nova mas não era nenhum tipo de idiota ou trouxa para ele agir daquela maneira. Ele pediu desculpas e falei que estava de boa, mas para mim, qualquer tipo de “relação” que tínhamos morreu. Assim ele inventou uma desculpa e voltou pra casa dele.
Mal estávamos nos falando, mas eu agia normal e íamos juntos pro treino...
Passou um tempo e minha mãe (minha fiel cúmplice) me contou que ele tinha pedido para falar com meu padrasto.
Nessa altura minha mãe tinha contado para o meu padrasto apenas que ele estava gostando de mim, mas nada além.
Carls queria conversar com meu padrasto porque precisava de conselhos. No final das contas, achávamos que ele conversaria sobre mim só que na verdade ele falou que estava saindo com uma garota chamada Farls (que eu conhecia do CrossFit também) e que gostava muito dela, ele também queria namorar ela...??????
Ele até levou ela para a nossa igreja, tipo mostrando pra todos que eles tinham algo (depois que nos conhecemos ele começou a ir na mesma igreja que nós)
Ela tem a mesma idade que ele e a mãe da minha amiga faz a sobrancelha dela, e quando a mãe dela perguntou se eles tinham algo (elas viram eles na igreja), ela disse que ele era o namorado dela e que ele era maravilhoso com ela. (Att: Descobri mais tarde que minha amiga mentiu porque é invejosa e queria me ver com raiva dele, não teve nenhuma conversa desse tipo).
Carls nunca me falou nada sobre e foi muito do nada, nós tínhamos uma amizade sabe?
Apesar de eu não gostar mais dele, me incomodo com a situação porque provavelmente ele já falava com ela enquanto estava comigo e tenho que conviver com ela a partir de agora. (Att: tive que ir em uma noite de filmes e os dois ficaram abraçados o tempo todo, SUPER DESCONFORTÁVEL. Além disso, ele me deu uma rosa e levou pra ela um buquê de rosas de dia dos namorados).
Meu padrasto perguntou se eles estavam namorando e ele negou até a morte. (???)
Fiquei chocada porque ele falava que queria casar comigo e que gostava muito mesmo de mim.
Mas pra ser sincera nunca gostei dele de verdade, por isso não fiquei tão chateada.
Além do mais, não ia ficar sendo feita de trouxa...
Fui usada, ele se saiu bem porque ganhou um emprego promissor, um passatempo e uma nova namorada.
Sei que me livrei de incomodação e fico feliz que não tenha dado em nada mesmo!
Você acha que fui babaca por ficar brava por causa de uma conta da Netflix?
O que faria/como agiria se fosse eu?
Quem é o babaca da história?
BAH amo vocês 💙🧡
submitted by saraharend to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.22 19:31 anthonystark42 SOU BABACA POR NÃO REATAR COM MINHA EX APÓS SABER QUE ELA FOI ESTUPRADA?

Olá lubixco, turma, gatos, editores escravos, terraplanistas (eles precisam de atenção), e etc.
Essa história aconteceu no começo deste ano, porém, vou resumir rapidamente coisas que aconteceram a 4... 5 anos atrás para que vocês possam se localizar.
Contexto: em 2015, eu estava no segundo ano do ensino médio (eu tinha 16 anos), e conheci uma garota (vamos chamar de Carls) eu vi ela pela primeira vez no colégio, (ela era do sexto ano, tinha 14 anos) muito bonita e tal, e após alguns dias ela se mudou para a mesma rua que moro. Íamos e voltava-mos de o ônibus para casa, e no ponto mais próximo de nossa rua, ainda tinha-mos que caminhar cerca de 1Km até em casa, e nesse trajeto a gente foi se conhecendo aos poucos durante o tempo e criando afeto de amigos.
Em 2016, entrei para o terceirão, ela foi para o sétimo ano, e lá estávamos nos, todo dia cedinho indo para aula e voltando pra casa juntos, e eu comecei a gostar dela, obviamente não correspondido, ela ficava com alguns garotos da escola mas eu só ignorava, até porque eramos só amigos na visão dela. Ajudava ela com estudos, era colega do irmão dela, mãe dela vivia dando carona pra escola, meio que já era um cara bem próximo a família. Cortamos para metade de 2016, e ela começou a demonstrar sentimentos, e então pensamos "vamos nos dar uma chance", porém, a mãe dela só aceitaria que ela namorasse ao completar 15 anos, e sem pensar muito minha atitude foi esperar por ela, e dia pós dia, estávamos juntos, abraçados, praticamente assumidos para o público, mas sem mais que isso, pois levaria-mos a sério o pedido da mãe dela. (Sim, sem beijos nem nada)
Cortamos para final de 2016, dezembro, ano letivo já tinha acabado, mês do aniversário dela, e ali então seria não só o aniversário dela, mas também o nosso início. Cerca de dois dias após a festa ela mandou mensagem que iria passar as férias na casa do pai biológico, na cidade ao lado (a mãe dela se mudou por conta da separação). Mas nossa deixa para nós vermos seria o curso dela, ainda aqui na nossa cidade, ela teria que vir toda semana uma vez, e lá ia eu, de ônibus, toda quarta para falar com ela da saída do curso até ela embarcar novamente no ônibus, mas cada vez mais, ela estava fria, distante, nem parecia mais a mesma carls.
E cortamos para fevereiro, eu já não estava mais na escola por ter me formado, mas ainda ia sempre na escola acompanhar ela na saída, e como antes, ela continuava fria. Um dia tentei tirar satisfação via messenger e ela disse que não poderia assumir um relacionamento naquele momento, que não estava preparada, e nunca mais falou comigo.
Entrei pra faculdade, fiquei quase 8 meses sem me interessar em relacionamento por ter ficado completamente destruído, mas quase como um presente, vamos chamar de "Mila" a garota mais incrível do mundo apareceu em minha vida. Eu em SC ela em MG, e embarcamos em um aventura, muitas dificuldades, sofrimentos pela distância, mas chegamos a 2020, treix anos de namoro, com uma pessoa incrível e extremamente cumplice para tudo, planejando nosso noivado e o momento para ficarmos juntos de fato. (Se quiserem cinto nossa história muito louca em outro post)
E aqui começa o julgamento de se fui babaca ou não, em abril, recebi uma mensagem no WhatsApp, da minha "ex quase sogra", desesperada, que precisava conversar comigo, então pedi para falar por ali mesmo se era tão urgente. Depois de enrolar um pouco ela começou a mandar fotos, áudios, e a primeira foto que abir estava escrito "delegacia de polícia da mulher de SC, corpo de delito, Carls de Oliveira e papapa" e nos audios, uma voz trêmula me dizendo que descobriu que Carls tinha sido estuprada pelo pai biológico. Fiquei chocado no momento, mas fui ouvindo e entendendo, a história aconteceu quando Carls tinha 8 anos, e somente agora teve coragem de contar. Inciou processo, denuncia e tudo mais.
No dia seguinte ela mais calma, continuamos conversando e me dei a disposição, que caso ela precisa-se desabafar, poderiamos marcar um momentoe. E fizemos, nós encontramos pós o almoço, e conversamos no carro mesmo, ela me contou tudo de novo, e ao fim da conversa ela solta a frase "a Carls se afastou de você por medo desse acontecimento, medo de homens", "eu sei que você tá namorando, não quero nem que ela fique sabendo dessa conversa, pra não estragarem sem relacionamento", "Carls gostaria de poder contar com você de novo".
No mesmo instante me coloquei a predisposição, caso Carls precisa-se de um ombro amigo, poderia contar comigo. Finalizamos nossa conversa e minha primeira reação foi contar tudo pra Mila, o que ela achava disso, e ela concordou que eu desse um ombro amigo a Carls.
Algum dias depois, Carls começou a mandar mensagens pelo Messenger, e conversamos por algum tempo, todo dia tirava algum tempo para falar com ela, dar atenção. Até que ela começou com indiretas "ainda tenho nosso ursinho de pelúcia", "que saudades daquele dia", e ficou nisso algum tempo, chegava a ser incomodo. Então, chegou o dia que ela disse "você realmente gosta dela?" Se referindo a Mila, e eu confirmei, e veio o escândalo, "como você ama alguém assim tão fácil, se um dia disse que me amou?", "Quem ama espera". Mesmo nessa situação, eu fui calmo com ela, por tudo o que ela passou, e disse que seria seu amigo, poderia apoiar ela, mas que em forma de relacionamento, não teríamos nada.
E tomei um block, em sequência minha "ex quase sogra" me manda áudio que Carls estava no quarto chorando com a porta trancada e expliquei a situação, e recebi um "isso fará ela sofrer, ela quer te amar, não só um amigo, se for pra isso, e melhor se afastar" e mais um block.
Sou o babaca dessa história?
submitted by anthonystark42 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 21:09 Apectocio Minha Biografia

no 3º ano do fundamental eu conheci um grande amigo chamado de gabriel e dps eu tive que sair da escola e quero contar isso para vcs como foi ficar 3 anos sem o meu melhor amigo

1º ano

Eu tinha me mudado de escola devido a crise que teve em 2012 que afetou a minha família e meu pai acabou perdendo o emprego e troquei de escola de para um Sesi pequeno no 5 º ano e que estava com problemas financeiros, quando eu cheguei eu n consegui fazer um amigo e todo o recreio eu sentava sozinho em um canto ao lado da sala dos professores, até que depois de um tempo a coordenadora da escola passou onde eu tava e perguntou pq eu estava sozinho no recreio bem eu disse q não consigo ter um amigo pq não conseguia ter um assunto e ela me levou em um grupo da minha sala e me apresentou e fiquei com muita vergonha, o grupo só ignorou a minha existência e acabou o recreio.
Bem depois desse dia a coordenadora disse para todos os professores, e todos os dias a coordenadora pedia para um grupos de alunos ir conversar comigo e eles iam lá para conversar bem eu falava coisas bem curtas e depois de um tempo de silencio eles iam embora, meio ano passou o meu pai começou a trabalhar de "Tio de piruá" na minha escola e até que a coordenadora me puxou para uma sala e me apresentou um grupo que era um grupo de robótica e na quele dia fiquei muito confortável me sentia finalmente em casa pq eu gosto de Tecnologia e não precisava falar muito o grupo era de 3 garotas do 3º ano do ensino médio e 2 garotos do Ensino médio e um professor de robótica eu ficava quieto escutando e gostava de ouvir a conversa deles, mas nem tudo era um 1000 maravilhas eu tirava notas baixas pq eu não conseguia aprender até que a diretora da escola chamou o meu pai para conversar sobre o mim.
Depois desse conversa o meu pai falou para minha mãe resolver esse problema, e foi passou em médicos e a diretora queria a que eu passasse em uma psicóloga, o ano estava acabando as minhas notas não se encaixavam para passar de ano e na reunião de pais, e minha mãe disse para mim que passei só por uma coisa a minha mãe e a diretora fez um trato é que eu fizesse um curso do Kumon aceitou a proposta, e vamos lá para o 6º ano do ensino fundamental.

2ºano

6º a sua rotina escolar muda agora não é 1 professor são 5, no inicio do ano a escola teve que demitir o professor de robótica e acabou o grupo todos os alunos foram para a faculdade e fiquei de novo sozinho e agora estou fazendo kumon estava começando a ficar louco, que quando o professor disse que de um trabalho de casa eu simplesmente chorei na sala de aula e o professor conversou comigo e disse que eu nem tava tendo um tempo de "viver" a minha vida finais de semana cheio de lições de casa da escola e do kumon e quando eu chegava em casa o meu pai estava só cansado e não gosta de falar comigo até nos dias atuais
Metade do ano se foi, eu comecei a ir em uma psicóloga eu falava com ela pq eu pensava que tudo se resolvesse e fosse uma pessoa normal e eu precisava em colaborar com ela
O Sesi começou a falir não tinha professor de matemática trocaram por 5 professores que não conseguiam passar a matéria na sala de aula , e a minha media de notas de 7 ou 6 foi para 2 ou 3 depois de ver essas notas eu comecei a esconder as minhas provas de baixo da minha cama eu não queria ver a minha mãe triste, estava começando a ter a pensamentos tipo "Se eu repetir 1 ano eu vou ser um Jé ninguém eu não quero viver desse jeito! eu não ligo para a minha vida se eu viver como um Jé ninguém, apesar qual é o sentido da minha existência? as pessoas são melhores do que eu sempre conseguem tirar um 10 e viver a sua vida e eu me matando por um 6 ou 7 e me matar para fazer um trabalho chega desse loop infinito!" de madrugada eu tava fazendo as lições de do Kumon até que eu peguei um papel no bloco de notas e escrevi e depois comecei a sentir uma dor intensa nas minhas costas, uma dor que não dava para descrever uma mistura de ardência e dor em minhas costas e fui parar em um hospital.

2,5º ano

Fui para um hospital publico e demorei umas 2-3 horas fui atendido com medico cubano eu disse que eu estava com uma dor insuportável em minhas costas ele falou que queria ver as costas, eu não tinha visto em casa, e tinha umas bolhas e minha pele estava avermelhada, o medico pediu para deitar na maca e falou que ia apertar a minha barriga, eu disse " okayy né você tem o diploma você sabe o que está fazendo né" ele deu uma apertada na minha barriga de uma forma quase saiu os meu órgãos pela a minha boca, depois de ter apertado a minha barriga falou que a intenção era de VoMItAr, eu e meu pai que tava do lado a gente ficou com uma cara de "excuse WTF!" e ele disse que era virose então eu e meu pai saiu de madrugada quase amanhecendo do hospital, fomos em medico decente e disse que eu estava com o Herpes Zoster (caso não sabe, pesquise), comecei a tomar muitos remédios indo para a escola cheio de dores na minhas costas
Passou 3 meses e finalmente curado! eu lembro do meu medico que a causa pode ser tanto de estresse ou imunidade baixa e depois desse dia eu comecei a a cuidar da minha saúde, escola acabando e notas 2 ou 3 era toda hora em matemática, eu por desespero eu fui tentar colar com uma calculadora na prova não deu certo zeraram a minha prova.
Reunião de pais foi diferente dos anteriores, a diretora chamou o meus pais para conversar a sós e falou que não da para me passar de ano com as minhas notas me repetiram de ano depois desse disso eu só passei o dia para baixo, eu sentei em um degrau das escadas e meu pai chegou sentou ao meu lado, e disse que não precisa se preocupar esse ano foi difícil para você que ele não entenderiam como foi, eu entrei no carro eu tava no banco de atrás a viajem para a casa foi a minha mãe reclamando para o meu pai que tinha que por na escola publica não adianta investir em mim eu só ignorei
Dezembro estava dormindo na casa da minha vó o meu pai tinha arrumado um emprego mas tinha que viajar e demorava 3 meses para voltar e minha mãe tava trabalhando
Ano novo agora vai ser um ano bom 2016 tem que ser ótimo! já me matriculei em outra escola...
3...2..1!

3º ano

Nunca tinha visto os fogos de artifício de um jeito que parecia uma esperança uma coisa nova a cada ano ver os fogos queimando no céu e explodindo as pessoas se abraçando comemorando o seu amor e carinho da própria família e consegui perceber que a coisa mais valiosa foi ter a minha família que sempre estarão ao meu lado se pisar na bola isso foi inacreditável que eu pensei
Fevereiro comecei a escola nova que se chama Escrevivendo , e no primeiro dia conheci uma Garota mas MUITO diferente do normal ela nunca quer conversar com o grupo de garotas da sala pq são muito mesquinhas para ela, eu fui me apresentar para ter um amigo para ela e sinceramente acho que quando eu conheci ela acho que mudei de pessoa uma mais extrovertido, o nome dela é Pietra ela falava que tinha um namorado no 6º ano para mim soava um pouco irônico por ser muito nova, ela gostava muito do Doctor who e mostrou um cantor que tanto eu gosto até hoje Joji Tvfilthyfrank hoje em dia eu gosto mais do Joji kkkk
Até que um dia eu pela a primeira vez eu senti apaixonado por uma pessoa que a sensação de amar ela do simples fato que ser ela mesma e diferente, depois de conhecer ela o maior motivo era alegrar o meu dia ao lado dela e dar gargalhadas em um vídeo mais idiota que a gente achou na internet sobre chaves, aiai! que saudades! até que em um dia ela chegou para mim que e falou a verdade que não queria nem um relacionamento bem nessa parte eu tinha entendido também a gente era novo para isso .
Pietra se você estiver vendo isso te amo FEDIDA!
O meu pai me deu o primeiro celular um moto g1 finalmente! e geralmente o colégio no final do ano faz uma feira cultural e precisa do celular para os professores amurarem os alunos para dança mas que coisa vergonhosa, e o grupo era no facebook então tive que usar a minha conta que tinha feito a muito tempo atrás, abri o app de mensagens do facebook eu eu tenho umas mensagens de um tal de Gabriel, eu não me lembrava mesmo pq fazia muito tempo eu ignorei
Fiz a minha parte do trabalho e passei de ano! dezembro de novo na casa da minha vó até que eu lembro quem foi o Gabriel no 3 º ano do fundamental até que eu respondi ele CARA É VC? bem depois desse dia a gente ainda é melhores amigos a gente fica jogando se divertindo e vendo filmes, A Pietra não falo muito mais com ela pq tive que trocar de escola (Um dia eu vou fazer um desabafo só do Gabriel pq tá enorme isso !)

Conclusão

Meu a vida é importante se a situação tá ruim é para melhorar, se vc tem problemas procura um medico fale com pessoas a sua vida é importante! e quero que goste da minha biografia apesar que é mais puxado para desabafo
Tchau Galera! e um grande abraço em vcs!
submitted by Apectocio to desabafos [link] [comments]


2020.06.14 05:19 Salamandra01_ O meu primeiro amor...

Olá, Lubinha, editores maravilhosos e caros telespectadores dessas terras tupiniquins. Queria começar agradecendo por você dar tanto espaço aos seus inscritos e foi por isso que tive coragem de compartilhar uma história muito importante da minha vida com vocês.
Completei o ensino fundamental todo em uma escola particular, pois graças a minha mãe e uma pitadinha de sorte consegui uma bolsa integral lá. E eu agradeço muito por ter estudado lá e conseguido ter uma boa educação, porém nem tudo são flores. Haviam algumas restrições lá e uma delas era justamente o controle sobre relacionamentos. Acontece que a escola não tinha ensino médio e eu tive que vir para uma escola pública aqui do meu bairro.
Quando cheguei lá, estava sem amigos (já que o pessoal da particular nunca fez muita questão de estar comigo, e ainda por morarmos longe), fiquei completamente perdido, afinal o ambiente era totalmente diferente. E foi aí que a minha vida começou a mudar: comecei a perceber que ao responder as perguntas dos professores eu era intitulado de nerd, por causa das minhas roupas mais casuais e por ter estudado numa escola particular eu era o riquinho da turma, e o pior de tudo: eu provavelmente era a única pessoa daquela escola que ainda não tinha beijado. Por sorte, acabei conhecendo bons amigos, inclusive o meu melhor amigo.
Passou o primeiro ano e essas questões estavam me preocupando cada vez mais, até que algo incrível aconteceu: a menina mais linda que eu já tinha visto entrou na minha sala e sentou em uma das mesas. Foi a partir dalí que eu não conseguia mais prestar atenção nas aulas, pois só tinha olhos pra ela. Eu não teria coragem de chegar nela, até mesmo porque a pouco tempo atras eu nem me importava com isso e então não tinha experiência nenhuma. Até que um dia teve uma palestra e ela por coincidência ganhou um livro de poemas. Eu nunca fui o tipo de cara que gosta de ler, mas aquela era a oportunidade perfeita para eu tentar me aproximar. Quando estávamos voltando pra casa eu a chamei, os amigos dela estavam com ela e eu estava morrendo de vergonha, mas tomei coragem e pedi para que ela me emprestasse o livro depois de ler. Foi assim que começamos a nos falar.
Até que um dia aconteceu a festa junina na nossa escola, e eu estava andando pra lá e pra cá com meu amigo, quando do nada eu e ele recebemos um bilhetinho dizendo que tinha alguém interessado em nós. Eu fiquei desesperado tentando encontrar quem mandou aquele bilhete, mas no meu coração eu tinha certeza que foi ela. Então um dia enquanto conversávamos eu tomei coragem e disse: eu gosto muito de alguém, mas eu tenho medo de falar porque pode ser que esse alguém que eu goste na verdade gosta do meu amigo (porque ela poderia ter mandado o bilhete pro meu melhor amigo ao invés de mim). E eu fiquei chocado quando ela respondeu: eu gosto de alguém, mas eu não sei o que fazer porque a minha melhor amiga também gosta dele. Bom... não preciso nem dizer que eu estava num mix de felicidade e preocupação. Conversamos bastante e decidimos que, apesar de inevitávelmente machucar alguém, eu gostava dela e ela gostava de mim, e não seria certo nós nos restringirmos por causa da amiga dela.
Meu primeiro encontro estava marcado, decidimos ir ao cinema. Eu cheguei quase 2 horas antes porque estava muito ansioso. Me levantava do banco e sentava a cada 5 minutos, as pessoas a minha volta deviam achar que eu era louco. Tinham dos caminhos pelos quais ela poderia chegar, eu ficava olhando pros dois lados sem parar, morrendo de ansiedade. Até que eu vejo ela vindo, não consegui me segurar, ela estava tão linda que eu abri um sorriso de uma orelha a outra. Nos cumprimentamos, demos uma volta antes de entrar e finalmente fomos assistir o filme. Quando estava na metade do filme eu sabia o que tinha que fazer, mas minhas pernas tremiam muito e eu não conseguia me mexer, até que eu decidi olhar para o lado e esperar ela me olhar de volta. Acontece que, ela era tão quanto ou mais envergonhada que eu então ela não olhou. Então eu cheguei perto dela e disse que queria beijá-la (kkkkkk nós ficamos rindo por um tempo), até que enfim nos beijamos... não vou mentir, tivemos que tentar umas seis vezes até rolar um semi-beijo (porque ela também não tinha beijado muitas pessoas). Depois daquilo eu abracei ela e continuamos olhando o filme. Por sorte, quando estava quase acabando eu lembrei de pedir pra ela olhar o meu rosto (eu estava cheio de batom kkkk). Saímos junto e voltamos pra casa, não queria estragar o resto do encontro então nem arrisquei tentar mais um beijo.
Bom... foi depois disso que tudo começou a desandar. Um dia enquanto conversávamos ela disse que precisava de um tempo para pensar, e quando ela voltou disse que era melhor nós pararmos. Meu chão desabou, começaram os piores dias da minha vida. Eu continuei ao lado dela como amigo, mas eu só estava me enganando... me machucava ficar ao lado dela só como amigo mas eu também não queria deixar de ser amigo dela. Começou um período de total confusão, ela tinha namorado por pouco tempo com uma menina ha um tempo atrás e parecia que nós estávamos competindo por ela. Isso continuou até o verão quando eu fui pra praia no ano novo, estavam todos comemorando e eu não conseguia parar de chorar pensando nela. Foi quando eu vi uma daquelas brincadeiras por status do Whatsapp onde precisa marcar entre uma semana atrás, um mês atrás, etc. E essa outra menina tinha marcado uma semana atrás para beijo... foi quando caiu a ficha. Não tinha sido eu o escolhido. Eu entrei no pior momento da minha vida, se eu já estava triste depois daquilo eu fiquei destruído. Depois que voltei das férias pedi para ela pra gente assistir um filme que já queríamos assistir há um bom tempo. Me diverti durante a tarde, tentei esquecer tudo o que tinha acontecido. Na hora de ir embora, ela me acompanhou até metade do caminho, eu dei o abraço mais forte que pude dar e me despedi. Fiz isso porque eu tinha tomado uma decisão: eu não queria mais sofrer... aquela era a última vez q a gente se falava.
Chegou o terceiro ano, minha rotina era ir pra escola, voltar pra casa e enterrar minha cabeça no computador fingindo que o mundo não existia. Meu melhor amigo tinha começado a namorar e eu já estava cansado de tudo aquilo. Eu sempre fui meio a moda antiga, e isso era um pensamento que me atrapalhava, porque eu já tinha deixado de ficar com as pessoas porque eu dizia que aquilo era ruim, que era errado ficar com alguém sem ter sentimentos (mas também grande parte era por medo da minha falta de experiência). Então por olhar pro lado e ver todo mundo feliz enquanto eu vivia triste, decidi que iria mudar... que eu nunca mais ia pensar em namorar na vida e que só ia viver de aventuras. Não durou muito tempo, afinal é impossível tentar ser quem você não é, continuava só com um beijo na ficha criminal.
Foi então que minha vida virou de ponta cabeça de novo... eu recebi uma mensagem dela. Foi a mensagem que mais abalou o meu coração, ela estava muito triste comigo por eu ter deixado de falar com ela porque ela realmente gostava muito de mim e eu me afastar dela foi suficiente pra ela perceber isso. Bom... eu fui um cuzão, mas posso me justificar por ter sofrido bastante, eu estava com medo de sofrer de novo, então eu disse pra ela que tinha mudado e que se ela quisesse eu só ia ficar com ela. Mas o sentimento foi mais forte, eu também sabia que gostava muito dela. Até que teve o aniversário do meu amigo, e eu pedi pra ela vir na minha casa antes para nós conversarmos antes de ir. Foi uma conversa bastante estranha, mas no fim decidimos dar uma chance pra nós, no fim eu fiquei tão empolgado que tentei dar um beijo nela, mas ela desviou e me pediu desculpa (o que era completamente compreensível devido a toda situação).
Foi então que começamos a ficar. Apesar disso, nós ainda não tínhamos tanta intimidade e não tinha rolado um beijo de verdade ainda. Eu ia pra casa dela mas nós ficávamos conversando, conversando mas ninguém tinha coragem de avançar. Até que um dia nós decidimos ficar nas escadas do prédio... e foi a mesma coisa, conversamos até a hora de eu precisar voltar pra casa. Eu estava completamente frustado comigo mesmo por mais uma vez não ter conseguido tomar iniciativa. Eu me levantei e nos abraçamos pra nos despedir, quando a luz da escada resolve apagar... nós ficamos um tempo abraçados e aí finalmente rolou. Foi um momento mágico, como se fosse o nosso novo primeiro beijo.
Depois disso começou a melhor parte da minha vida. Eu tinha uma namorada linda e era muito feliz ao lado dela. Então chegou aquele momento da relação onde precisávamos dar o próximo passo, acontece que nós dois tínhamos irmãos e era raríssimo ter um pouco de privacidade. Foi então que eu tive coragem de pedir para o meu pai me ajudar, então um dia marcamos dela pousar aqui. Naquela noite meu pai levou minha família pra sair e eu fiquei sozinho com ela. Estávamos assistindo um filme comendo pipoca, a ideia era esperar o filme acabar mas não tínhamos tanto tempo assim pra esperar. Aquele parecia o filme mais longo do mundo, até que eu olhei pra ela e disse: tu ainda quer ver o filme? (Eu sei kkkkk eu tenho um dom de constranger as pessoas), novamente nos rimos por um tempo até que ela disse que não queria mais assistir. Eu fui até a tv, abri no youtube e disse pra ela: você tem duas opções de playlist, a atual ou a clássica (kkkk bom... isso eu posso explicar, eu sempre comentava com meu amigo que algum dia eu iria fazer amor ouvindo aquelas músicas românticas clichês, porque eu realmente gostava delas). Pra minha surpresa, ela escolheu a clássica. Aquele era o momento mais feliz da minha vida, eu não estava acreditando no que os meus olhos viam, ela usava uma linda lingerie preta e a luz da tv na pele morena dela dava um contraste lindo a beça. Aquela foi a nossa primeira vez, um momento muito especial pra nós dois, a minha primeira vez e a primeira vez dela.
Acho que muitas vezes as pessoas esquecem que sentimentos mudam tudo. Nosso primeiro beijo, nossa primeira vez... obviamente não foram as melhores coisas do mundo, mas para mim e para ela foi, porque não se tratava de beijo ou de sexo, se tratava de amor.
Nós namoramos por bastante tempo, até que os problemas começaram a surgir e as diferenças começaram a nos atrapalhar. Ela era uma pessoa que gostava bastante de sair e eu era uma pessoa mais caseira, que gostava de cinemas, restaurantes, piqueniques. Além disso, eu sou uma pessoa extremamente carinhosa, já ela tinha uma maneira mais sutil de demonstrar carinho. Isso ao longo do tempo começou a ficar cada vez mais evidente, até que começou a machucar. No início nos fingimos que não estávamos vendo, porque amavamos muito um ao outro e não queriamos nem pensar na possibilidade de terminar. Mas infelizmente se tornou inevitável, nós tivemos algumas conversas mas para nós darmos certo era necessário que ambos mudassem, e nós não achavamos certo ter que mudar, afinal um relacionamento só da certo se ambos aceitam e conseguem suportar as diferenças. Foi então que a gente viu que não dava mais certo e resolvemos terminar. No fim, o sentimento não foi de raiva, não foi de tristeza. Decidimos continuar amigos porque a amizade um do outro importa muito pra nós, eu quero que ela seja feliz e sei que ela deseja o mesmo pra mim.
Com essa história gostaria de dizer que ter maturidade significa olhar pra trás e não ter vergonha do passado. Graças a ela eu me tornei uma pessoa melhor e aprendi muitas coisas. Aprendi com meus erros e vou me certificar de não errar da próxima vez. Nunca vou me esquecer dos nossos momentos juntos eu vou guardá-la pra sempre no meu coração.
OBS: sobre os bilhetinhos de festa junina, quando namoramos ela me contou que na verdade o bilhete que eu tinha recebido era da amiga dela e ela resolveu mandar pro meu amigo pela zueira kkk / outra coisa, ela foi muito importante pra eu mudar meu pensamento retrógrado, hoje eu sei que não tem nada de errado em ficar, e que na verdade é até bom pra conhecer a pessoa bem antes de tentar algo.
É isso, te amo Luba! Abraços!
submitted by Salamandra01_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.09 11:23 InezinhaDirectioner O Menino... Estranho ;-; (não tenho um bom título)

Oioii Lubisco e todos os seres vivos presentes (sem paciência pra escrever tudo sksk). Essa história é sobre um menino que supostamente "gostava" de mim e muita merda que aconteceu há 2 anos atrás e este ano. Por incrível que pareça TUDO oq vou dizer é 100% real. (bjs de Portugal sou uma grande fã 😗)
Então, há 2 anos atrás uma vez tava com a minha bff do momento num canto do recreio, daí ela precisou de ir ao WC.
De boas, eu fiquei esperando no cantinho e do nada veio um grupo de 2 meninas e 1 menino. Esse menino é dos populares por ser considerado "gato" (não tanto, mas tá). Eles começaram a ser simpáticos e tal, só q eu tava meio desconfortável pq eles tavam a falar cmg como se eu fosse uma bebézinha sem amigos. Do nada esse menino disse: "Olha, eu até namoraria com uma menina bonita como tu". Eu fiquei meio confusa e tal mas apenas ignorei. Entretanto eles foram embora e eu fui procurar a minha bff.
Alguns dias depois tava nas bancadas do colégio que ficam na frente do campo de futebol com umas amigas, e ao nosso lado tinha 3 meninas da turma desse menino (como não quero mostrar o nome dele vou apenas chamar ele de.... Macaco).
Menina 1: Ei, menina Eu: oq foi? Menina 2: Sabes o Macaco? Eu: quem? Menina 1: aquele ali (ela apontou pra ele) ele gosta de ti
Eu depois de ouvir isso fiquei meio tipo "quê" mas fingi q não ouvi nada Do nada esse menino GRITOU SE EU QUERIA NAMORAR COM ELE EM FRENTE DE TODA A GENTE LÁ (a maioria cagou mas mesmo assim)
Eu, como a boa pessoa que sou, gritei N-Ã-O e daí fugi de lá com uma das amigas.
No recreio a seguir a turma dele PENSAVA QUE EU TINHA DITO SIM e tavam todos tipo "oi namorada do Macaco" Eu sempre respondia que não namorava com ele mas elas sempre diziam algo tipo: "gostas sim" "mas ele gosta de ti" "mas ele é tão simpático"
Uma vez tava com a minha turma à espera da professora de Matemática entrar na sala e o Macaco chegou perto de mim e começou a dizer repetidamente: "Inês beija-me, Inês beija-me, Inês beija-me". Eu tentei me afastar mas ele continuava a tentar me convencer a beijar aquela boca nojenta.. Daí uma colega minha reparou na situação e gritou pra eu correr pra dentro da sala pq a stora já tava lá. Eu fui, a correr mais rápido q o Flash, e me sentei no lugar..Eu já tava me sentido salva mas não..
Prof: INÊS NÃO É ASSIM QUE SE ENTRA NUMA SALA!! SAI IMEDIATAMENTE!!!
Eu saí... E ele ainda tava lá ;-; com um sorriso creepy acenando pra mim ;-; eu fiquei batendo na porta até me chamarem e finalmente entrei.
Esse tipo de coisa foi acontecendo de vez em quando (mas não era tão estranho como essa) e chegou um dia que tava à espera de uma amiga minha pq ela tava à procura da lancheira dela e daí esse menino reparou na minha existência e abriu a boca.
Ele: ó Inês, tão todos a dizer que não gostas de mim. Explica-te!!!! Eu não aguentei e comecei a rir muito Eu: mano, eu nunca gostei de ti Ele: ISSO NÃO TEM PIADA!! Eu: tem! ainda rindo Ele: TA BEM! ACABAMOS!! Eu: ALELUIA-
Eu continuei a minha vida e o Macaco já n me chateava. (ele me pediu em namoro denovo e eu rejeitei mais uma vez)
1 ano depois.. Ele ficava constantemente a olhar pra mim (ele não é da minha turma se tiveres confuso, ele é da turma mais velha) mas ele quase nunca dizia nada
Outro ano depois (este ano) ele se tocou que "gostava" de mim denovo
Eu sempre chego muito antes das aulas começarem, tal como ele e o amigo dele. No colégio tem tipo um mini corredor que vai dar ao campo de futebol (pra educação física) e a meio desse caminho no lado esquerdo tinha uma sala onde os alunos podiam relaxar, conversar, etc.
Eu nunca tuve coragem pra entrar nessa sala pq o Macaco e o amigo dele tavam sempre lá. Um dia (detalhe importante: um dia antes do dia dos namorados) o desgraçado do menino chegou perto de mim e disse: "Olha não é preciso teres medo de mim. Podes ir pra sala". Eu apenas disse um ok e fiz um sorrisinho do tipo "saiii da minhaa vidaa~" No dia a seguir eu fui lá de boas, abri a porta e disse "bom dia". Olhei pra eles e eles ficaram mt chocados pq eu era mt tímida. Eu me sentei numa mesa longe deles e eles ficaram de boas. Eu também fiquei de boas e comecei a ver fotos do Harry Styles (cada um com os seus gostos). Esse cantor tem uma música chamada falling e tal e no refrão ele diz "im falling again, im falling again.. FAAAALING" (tradução: falling pode significar ou cair do tipo tropeçar oy tmb pode ser de se apaixonar do tipo "eu tou caindo de amores"). Eu tava vendo as fotos e tal equanto ouvia essa música e no refrão começaram a aparecer gifs dele a cair em palco. Eu não aguentei, eu comecei a rir muito
O Macaco olhou logo pra mim. Ele: Oq é q é tão engraçado? Eu: nada.. Ele: oq é q tás a ver? Eu: fotos de um cantor.. Ele: Quem? Eu: Harry Styles.. Ele: Hm.. Ok.
Uns minutinhos depois ele olhou para mim e me chamou Eu: oque foi? Ele: queres me acompanhar neste dia de S. Valentim? numa voz fofa e simpática Eu: Não Amigo: Ela namora com o amiguinho gay dela Eu: Não namoro não Amigo: Namoras sim Eu: Nós somos amigos Amigo: ta bem vou fingir que acredito.
Ficou um silêncio meio constrangedor. Mas não durou muito
Macaco: Bora jogar à bola aqui? Amigo: Bora
Eles queriam jogar ao jogo dos passes DENTRO DE UMA SALA ESTREITA (é tipo um jogo em que vão chutando a bola pro colega e ele chuta de volta)
Eles foram um pra cada ponta da sala e como óbvio o Macaco ficou perto de mim (CHATOOOO SE AFASTAA AIN) Eles começaram a jogar, de boas, e do nada o amigo dele chuta a bola um pouco alto. Eu me encolhi com medo de levar com uma bola dura de futebol na fussa e o chato abriu novamente a boca
Macaco : não é preciso teres medo, eu não sou q nem o teu amiguinho q n te defende Os dois começaram a rir e eu fiquei calada e séria e eles continuaram.
(Aconteceram outras coisas mas n é nada demais.)
Outros dias depois reparei que essa sala tava em obras. E a duplinha dos animais tavam sentados num banco à frente da sala.
Eu: Ei algum de vocês sabe oq se passa com a sala? Macaco: sim, linda Eu dei um sorriso do tipo "cala a boca" Amigo: ela namora com o outro (ele tava a falar do mesmo amigo "gay") Eu: Eu não namoro com ele, ele é meu amigo Eles ficaram em silêncio e dps o Macaco continuou Macaco: ent, aqui vai ser a sala dos professores e (bla bla bla q não ouvi). Eu: ah obrigada! Ele: denada fofa. Eu: ok tchau começo a andar pro corredor Ele: queres q eu te acompanhe? Eu: haha, não! Tou ótima!
Entretanto outro amigo deles chegou e eles começaram a falar. Do nada chegaram os 3 perto de mim e o chato tentou cantar "Story of my Life" (uma música dos one direcyion) Mas como óbvio ele não podia ser uma pessoa normal a cantar, não. Ele não sabia quase nada da letra por isso ele tava tipo "nanana my life nananana"
Eu me senti mt constragida e comecei a me afastar deles. Graças a Deus uma amiga minha já tinha chegado e eu fui atrás dela. Eles não me perseguiram (ainda bem) O dia continuou normal.
Daí, numa semana tava um clima meio estranho na escola por causa do Covid. Não sabiam se as escolas iam fechar ou não.. E daí na sexta feira decidiram.
Sim, as escolas iriam fechar oficialmente.
Quase ninguém foi à escola nesse dia e meio q não teve aula. Tivemos apenas a recolher os cadernos e materiais que precisávamos e alguns professores fizeram umas atividades simples.
Ao fim do dia tava eu e 3 amigas num canto. Esse canto é literalmente entre uma sala e a sala desse menino irritante. Uma das meninas precisava de guardar uma coisa na mochila, e ela n queria ir sozinha. Elas:..... Eu: eu posso ir Uma amiga: eu tmb Outra: não me vão deixar sozinha pois não?! Eu: Ok vamos todas
Eu já tava em pé e já tava preparada pra sair de lá. Dei uns passos e me deparei logo com esta cena: o Macaco de joelhos em cima de um skate a tentar andar nele. Eu recuei e comecei a rir e eu acho q uma das amigas tmb viu pq ela tmb tava a rir ksks. Esperámos a última amiga se levantar e fomos.
Quando começámos a passar por ele ele tava sentado no skate e essa amiga q viu começou a rir e a dar sinal pra eu olhar pra ele. Continuámos a rir um pouco e fomos esperar a amiga guardar a tal coisa. Entretanto uma auxiliar chamou essa menina pq a mãe dela já tava no portão pra levar pra casa. Ela foi e vi a minha nova bff a entrar na escola. Ela foi lá pta levar os livros que ela não levou. Eu fui com ela e mais uma amiga dela de boas levar os livros dela e passámos pelo Macaco Detalhe: essa amiga dela me shipa muito com ele ;-; Ela: OLHA O AMOR DA TUA VIDA ALI A OLHAR PRA TI E eu, como a lerda q sou, olhei LOGO pra ELE. (alguém me mata)
Uns minutos depois voltei pras duas amigas q tava a falar antes e fomos pra uma mesa em frente da sala dele.
Ele: Inês Eu: sim? Ele: tens bateria infinita nesse telemóvel (celular)? Eu: quê? Ele: ficaste o dia todo com ele e ele ainda tem bateria Eu: ok?.. Ele: quanto é q tens? Eu: 60% Ele: mds
Eu continuei o meu caminho e ele perguntou outra coisa mas eu ignorei. Fui pra mesa com as 2 migas e começámos a ver uns vídeos. Do nada o ar olhou pra mim e disse: vou me tornar em vento Começou a ficar mt vento e o meu cabelo tava a voar pra minha cara ;-; eu tava a tentar afastar e fiquri tipo : PORRA SAI DA MINHA CARA, CABELO!! Daí olhei pro lado e ele tava a olhar pra mim ;-; o pior é q ele não desviou o olhar. Ele continuou a olhar pra mim como se fosse animal do zoo. Eu fingi q n aconteceu nada e continuei a ver o vídeo com as meninas.
Bom Aconteceram muitas outras coisas, mas tou sem paciência pra contar todas. Resumozinho: Até q nos damos bem, ele me diz bom dia, eu digo bom dia de volta.. Mas é aquele tipo de amigos q só se falam numa hora determinada do dia, porém não tão próximos. Ele já me tentou pedir o whats e o insta mas eu não dei pq eu não tenho (ok agr tenho insta mas fds). E por causa da quarentena não nos podemos falar. Eu já entrei na videochamada da turma dele sem querer e foi isso ;-;
Obrigada por gastar o seu tempo a ler esta história bizarra e longa que eu gostava que fosse fake ;-;, bjs tenha um bom dia.
submitted by InezinhaDirectioner to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 18:57 PedroMR18 Eu sou o babaca por brigar/discutir com um homossexual (leia tudo para entender mais)

Olá Luba, gatas, editores, convidado que quase nunca está aí (não é bullying se é verdade) e turma. Meu nome é Pedro e eu sou de Belo Horizonte, ent se quiser fazer o sotaque mineiro, pode fazer.
Obs: desculpa se ficou muito grande a história
Título: Eu sou babaca por discutir com uma pessoa homossexual?
(Eu sei que o título já diz que eu devo ser o babaca, mas continue lendo pra poder entender de todos os detalhes)
Bem tudo começou no início desse ano, quando eu entrei em um grupo de Whatsapp, aí assim que eu fui perguntar o que que tava acontecendo, a minha amiga, vamos chamar ela de Bianca (ela era a Admin do grupo) falou que depois daquela última vez, ela queria tentar sair de novo (meus amigos e eu tentamos sair em grupo no final do ano passado, mas acabou não dando certo). Aí quando eu fui ver, já tava todos os meus outros amigos, ela(Bianca), eu, vamos chamar os outros amigos de Alice, Karen(diferente das outras, essa é legal) e o Herman. E eu, como a maioria das pessoas de 14, 15 anos, que é bastante comum sair com os amigos nessa idade, eu nem pensei duas vezes e já aceitei o pedido(também eu só consigo ver eles pessoalmente 2 ou 3 vezes por ano, porque eu tinha me mudado de escola já faz uns 3 anos, mas eles não, só o Herman e um outro amigo meu que foi comigo para outra escola). Pois bem, além de mim, todo mundo também concordou sobre a idéia, o problema era pensar em um lugar legal para a gente poder ir e no dia e hora. Ao longo daquele dia, foi surgindo várias ideias, até q as duas que chamaram mais a atenção foram da gente ir no paintball e no Scape Room. Quem tinha pensado no paintball foi a Karen e quem pensou no Scape Room foi a Bianca, e sem pensar duas vezes, eu concordei na ideia da Karen, a do paintball, pois eu já tentei ir acho que 4 vezes em algum paintball, mas eu nunca consegui, então eu vi em mim uma oportunidade de eu finalmente conhecer, sentir, pisar, e o mais importante, jogar paintball pela primeira vez na minha vida. Depois de algum tempo, a Bianca teve a "brilhante" ideia de querer chamar mais gente para pode ir no passeio, todo mundo aceitou a ideia e nós começamos a chamar mais gente. A Bianca acabou chamando duas pessoas, vamos chamar eles de Marcelo e Léia, e eu chamei aquele meu outro amigo que foi pra mesma escola que eu, vamos chamar de Carls. Ok, agora ao invés de 5 pessoas, nós agora tínhamos 8 e até agora nós já tínhamos planejado apenas um terço do passeio, que é quem que vai, os outros dois terços eram aonde e quando que seria, então depois do Marcelo, Léia e Carlos terem entrado no grupo, nós fizemos uma votação para saber em qual lugar nós iríamos, e de oito pessoas, ficou 5 a favor do paintball e 2 a favor do Scape Room. Assim que vimos os votos, todo mundo aceitou a ideia do paintball, menos a Bianca, por que pra mim, deu pra perceber que ela tinha perdido o ânimo de ir no passeio por que perdeu uma votação boba e que queria muito ir no Scape Room, mas eu não tinha tanta certeza disso e não falei nada e só continuei seguindo a minha vida. Bem, depois de algum tempo, talvez até um dia depois, ouve o ponto principal dessa história, enquanto todos nós estávamos planejando tudo, as vezes nós zoavamos, brincava, se divertia e conversava uns com os outros, e uma das pessoas que estava fazendo isso era o Marcelo, e ele conversava tanto, mais tanto, que na primeira hora que ele entrou no grupo, eu já descobri que ele era homossexual, estudava na mesma escola que as meninas e mais um monte de coisa. Até aí tudo bem, mas é agora que deu ruim, por que um dia, eu estava com uma dúvida sobre tal assunto, aí o Marcelo veio me responder desse jeito: "Amado, não é assim não...".Na hora, eu achei aquilo muito estranho e fui dizer a ele que eu não queria ser gay e que eu estava afim de uma menina, o problema é que ele gostava muito de falar a palavra Amado(a), só que já que as meninas eram as que mais falavam naquele grupo, ele acabava falando mais a palavra amad(A) do que amad(O), e eu só percebi isso dias depois, e depois de eu ter falado aquilo com ele, ele do nada começa a me xingar, discutir comigo, ele até começou a do nada falar ou cuidar da minha vida pessoal, como que eu nunca vou ter uma namorada e etc, e ele ainda falou que EU é que estava cuidando da vida dele, e pra piorar, a Bianca simplesmente do nada começou a apoiar o Marcelo, eu não sabia se ela queria zoar da minha cara ou se ela estava querendo jogar toda a raiva dela em mim. Na hora eu não estava entendendo mais nada, e toda vez que eu tentava pelo menos explicar alguma coisa, mais comentários ruins estavam chegando, não dando nem como eu explicar pra ele a situação. A parte boa dessa discussão foi que pelo fato de eu ser uma pessoa "muito zoeira", eu as vezes mandava umas figurinhas durante a discussão, e eu lembro que o Herman até me ajudou uma hora mostrando a figurinha da carta reversa do Uno. Bem, a treta continuou por um tempo, e acho que estava todos lendo a conversa, até que uma hora eu decidi sair do celular por um tempo e fui fazer outras coisas da minha vida, a sorte é que eu estava com raiva, mas é aquela raiva que você quase nem sente ela por dentro (não sei explicar melhor). Bem, chegou o grande dia, o dia em que eu finalmente jogaria paintball na minha vida, o problema é que eu não parava de pensar no que o Marcelo disse ontem, mas eu não deixei isso me atrapalhar. Chegando lá estava todo mundo, menos a Bianca (vocês já sabem o por que), quem não estava lá também era Léia, pois ela disse que ela infelizmente não tinha como ir e tinha que cuidar do irmão (eu não sabia se era verdade ou não, mas ela era legal, então eu acreditei naquilo) e quem também não estava lá era a Alice, e você deve estar se perguntando, o que aconteceu pra ela não poder ir?, e eu respondo: nada, ela não falou nada. Eu só não me abalei com as 3 não poderem ter conseguido ir, por que eu já estava cansado de ter que mudar a data do passeio por causa que não dá para alguém ir em tal dia, e também o Carlos tinha chamado um outro amigo dele e o irmão dele. Bem, depois de eu ter chegado lá, estava todos sentados no vestiário, provando as roupas, e quando eu sentei no banco que tinha lá, a primeira coisa que a Karen fala para mim é: "eu falei com a mãe da Bianca e ela disse que não sabia de nada sobre o passeio", na hora eu não falei nada, mas dentro de mim estava uma festa por que eu sabia que ela tinha deixado de ir por alguma coisa. Bem, depois de vestirmos as roupas, nós fomos para a área de tiro, e lá a gente jogou por um 1 hora (obs:eu e o Marcelo ficamos no mesmo time, e nada deu errado, nós até ganhamos o jogo e eu JURO que antes do jogo, eu iria apertar a mão dele e dizer: bom jogo, mas acabou não dando certo, pois já estavam todos esperando e eu ainda tinha que guardar minhas coisas pessoais), e depois do jogo, nós aproveitamos e fomos no shopping que tinha do lado do paintball, e lá nós fomos comer, lá estava legal, as unicas partes ruim de lá é que eu fui enganado pelo burguer King, pois eles me deram um hambúrguer vegano que tinha carne (aquela carne que é modificada pra ter apenas coisas sem carne), e a outra coisa ruim foi que eu não conversei muito com a Karen, pois ela veio junto com o Marcelo e ele estava do lado dela o tempo todo, e eu não iria conversar com uma amiga que eu gosto com uma pessoa que não gosta de mim do meu lado. Bem, esse foi o meu dia, foi muito legal pra mim, e quase nada me tirou do sério. PARTE BÔNUS: alguns dias depois, quase ninguém falava mais nada naquele grupo(detalhe, a Léia é grande fã sua e ela acabou colocando uma foto sua de perfil e mudou o nome para Bahh néh vish kk), só falamos de como foi o dia e depois só, até que veio um dia em que o Marcelo continuou falando mal de mim e até me retirou como um dos admins do grupo, mas eu consegui ser uns dos Adm de volta e depois ele falou que se eu encostar, conversar ou me meter com os amigos dele (que também eram os meus amigos), ele disse que eu estaria ferrado, e eu acabei falando que eu estaria MUITO ferrado, pois 2 dias depois seria a festa de aniversário do Herman, e todos estariam lá, menos ele e a Léia(o problema é que ao invés de falar que seria daqui a 2 dias, eu acabei falando q seria no dia seguinte, o que fez a Bianca e o Marcelo rirem de mim). Uma semana depois o Marcelo resolve sair do grupo e fala por que "ele já estava em outros grupos" e a última coisa que ele falou antes de sair foi: "ahh, e Pedro, deixe de ser um babaca, ok?". Na hora em que eu li a mensagem, eu falei pra mim mesmo: "esse cara é um sem vergonha" e já que eu sou uma pessoa meio que "teimoso", eu fui falar com ele no privado sobre ele ser um sem vergonha, e logo depois ele começa a cuidar da minha vida de novo e fala que ele dá mais valor pras meninas do que eu e que ele ajuda elas nos momentos mais difíceis, uma mentira, pois eu falo com elas todos os dias (por causa da quarentena eu deixei de falar um pouco) e já resolvi muitos problemas delas. Depois daquilo tudo, eu resolvi bloquear ele e eu nunca mais vi uma mensagem dele.
E então, quem foi o Babaca da história?
Bem Lubisco, espero que tenha gostado da história, desculpa se ficou muito longo, mas eu precisava escrever isso, espero que tenha gostado, assisto todos os seus vídeos já faz um ano (por incrível que pareça, eu comecei a ver eles no dia do seu aniversário do ano passado kkkkkk). Beijos, tenha fé que você não vai morrer sozinho, use sempre fones de ouvido daqueles de obra quando o Jean estiver no vídeo, não postem memes no turma-feira, volte a reagir o canal Janela da Rua, termine o Led, concerte os papelões e te adoro ≥30.
View Poll
submitted by PedroMR18 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 08:04 dontlook_hesthere A menina que pois a culpa de seus atos em mim e minhas amigas e quase envolveu polícia.

Olá Luba, gatas, editor, tuxo, tucho (não sei como se escreve isso ;/) e cadáveres dos papelões. Hoje vim contar a história dela. história imensa Bom tudo começou o ano passado, numa escola aonde era o meu segundo ano estudando la, (obs: estava no sexto ano), no início do ano ficava só eu e a minha irmã, eu não sou muito sociável não gosto de conhecer gente nova nem de falar muito ja a minha irmã fala até com as paredes (irrelevante). Começando a aula, teve as apresentações e tals, coisa normal do primeiro dia de aula, e chegou uma menina que começou a choramingar falando “Oi meu nome “Karen” (não posso explanar o nome) e eu sou muito sozinha, ninguém gosta de mim, não tenho amigos e blá-blá-blá....) eu sou bem observadora e percebi que as demais meninas que estudavam com ela a encaravam com cara de repulsão, até ai ok. Deu intervalo e essa menina veio falar comigo e com minha irmã, e minha irmã nunca fomos com a cara dela eu gostei +ou- mais pra menos. E okay, muitas pessoas chegaram na gente e falaram “cuidado com ela, ela e bem venenosa.” Até ai eu ja fiquei meio cismada. Depois de um tempo ela foi se aproximando mais da gente ao ponto de achar que eu era a melhor amiga dela “ridículo”. Passou um tempo e começou a surgir um boato de que ela era lésbica, até ai tudo bem eu não tenho nada contra. Mas eu e umas colegas minhas (eram no total cinco contando comigo) começamos a desconfiar, ela vivia falando quer era super LGBT Q+ amava arco-íris e amava pessoas e personagens desse clã. Ok para deixar bem claro nos nunca fomos contra as pessoas LGBT nunquinha. Guarda bem essa informação. Passou um tempinho e eu comecei a sentir uma presença de inveja vindo dela, ela era bem cismada comigo (ja até tentou me beijar) nos desenhamos não e la grandes coisas, mas eu era preferidinha de uma professora que por coincidência era de Artes, eu sempre era líder de sala, ficava na frente de tudo, tomava conta da sala e tals, nas maioria das aulas, era quase a “presidente” da turma. Ela não gostava disso sempre q eu era elogiada ela soltava um “mas eu também sei fazer.” “Eu faço melhor.” “Ela não e nem isso tudo.” E por ai vai. Ai e aquela coisa “O que os olhos não vê, meus colegas me contam” eu descobri que ela falava mal de mim, mal das coisas q eu fazia, etc... Ai quando eu descobri isso ela veio com um puta vitimismo. Uma vez aquele meu grupinho foi chamado a diretoria, chegando la falaram que a “Karen” estava reclamando de bullying, eu ja fiquei nervosa pois nunca fiz bullying com ela, esclarecemos tudo e voltamos a sala. Em outubro eu estava querendo por um piercing, e quando eu mencionei isso, ela também disse que queria por... no último dia de outubro eu pus o piercing no septo e quando eu cheguei na sala ela disse “Que ridículo, ta parecendo uma vaca,sua mãe e louca de deixar você por isso.” Eu retruquei “Olha, minha mãe não e louca ela sabe muito bem o que eu posso ou não fazer, isso não vai interferir na sua vida, então fica quieta que nem falar com você eu falei.” E ela não falou comigo mais. No mesmo dia ela chamou uma amiga minha de puta, falou que quando ela crescer ia virar prostituta e que não tinha aonde cair morta, outra colega minha chamou ela de gorda, e cabelo ruim (obs: o cabelo dela e crespo). No dia seguinte ela foi ate a frente da sala e começou a chorar falando “Eu queria dizer que estou sofrendo bullying, estão me chamando de vaca por querer por um piercing, me chamaram de puta e falaram que eu não tenho aonde cair morta, falaram que eu sou gorda e tenho cabelo ruim e ainda estão me chamando de lésbica. (Ela já admitiu na minha frente q era, e na frente de outras pessoas).Mas eu não ligo e nem vou falar quem disse isso, so queria pedir para pararem de fazer isso pois eu já não sou aquela menina alegre e sorridente agora so penso em chorar.) nem a professora caiu no papinho dela. Dia seguinte o que aconteceu? Fomos chamadas até a diretoria, e ela e tão sinica que ate os diretores e professores não caem mais no papinho dela, so que o dono da escola ameaçou denunciar a gente para a polícia o famoso B.O, no finalzinho do ano conseguimos desmascarar ela, bom não adiantou de nada falar para os pais, a mãe e cega de amor e não acreditou em nada que falaram da filha. O maior gostinho foi ver no último dia de aula todos se abraçando e despendidos e ela la no portão sozinha, sem receber um tchau de quem dizia ser seus amigos. Eu sei que a história parece ser falsa mas infelizmente não e, desculpa pelo tamanho da história e olha que eu não contei nem metade do que ela fez, so disse o principal. Beijos Luba >3
submitted by dontlook_hesthere to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 05:36 Vc_Sabe_Quem Eu sou o babaca por falar para minha amiga "calar" a boca quando estava com dor de cabeça?

Oi galera,Luis,Matheus,Lubisco,aprendizes de Edição, papelões sobreviventes,Misty e Gala.Borá logo pra história.
Em outubro de 2019 ,eu estava muito amigo de uma menina (vamos chama-la de B) ,a B e eu estávamos sempre juntos na escola (nós somos vizinhos). Até que um dia estava com muita dor de cabeça (sinusite) e a B começou a me perguntar muitas coisas ,tipo "essa letra ta legal","como é que eu to hoje","você viu o L hoje" (L é o cara que ela gosta) e eu dizendo pra ela o quanto eu tava com dor de cabeça . Dai eu com muita raiva e dor disse "POR FAVOR B HOJE NÃO" e depois ,no final da aula ,ela saiu da sala com uma cara horrível.Como a gente ia pra casa juntos eu esperei ela .Mas ela tinha ido sozinha e sempre q eu volto ou vou para a escola eu vejo ela mas ela nem olha pra mim (quando eu cheguei em casa ela tinha me bloqueado).
No dia seguinte eu fui pedir desculpas a ela mas ela se quer falou comigo e assim foi durante todo o dia ,ela não falou comigo durante uma semana . Quando eu fui falar com meus amigos sobre isso a maioria me chamaram de babaca (até a C a minha melhor amiga ) a B não fala comigo até hoje ,e durante alguns meses eu tentei de diversas maneiras falar com ela (tanto cartas ,falar diretamente e convencer alguém para falar com ela mas nada).
Até hoje ela nem quer chegar perto de mim e sempre que eu chego em uma roda de conversas em que ela está ela sai o mais rápido possível .
Eu fui o babaca?
submitted by Vc_Sabe_Quem to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 05:19 Anafronza666 O PEDIDO DE NAMORO

Olá pessoas e objetos em geral Bom.. isso aconteceu comigo ano passado na escola Eu estava caminhando com minha amiga karls na hora do Recreio e tinha alguns meninos "batendo cartinha"(brincadeira onde vc bate em uma carta até ela virar pra cima , se ela virar vc fica com a carta pra vc) eu fiquei super entusiasmada e decidi que ia bater cartinha com eles (ps: eu só conhecia um dos meninos de lá porque ele ia no mesmo ônibus que o meu) como eu não tinha nenhuma cartinha um menino que estava lá me emprestou uma pra eu poder jogar com eles , no fim de tudo eu perdi tudo mas no dia seguinte fui tentar de novo . Então o menino que tinha me dado a cartinha no dia anterior me deu mais uma , ele estava meio estranho, não tirava os olhos de mim e ficava "trocando olhares" ... Eu não liguei muito, mas parei de jogar com eles , resultado , o menino da cartinha (que irei chamar de corls) mandou minha amiga pedir pra mim se eu daria uma "chance" pra ele . Eu respondi que nem conhecia ele direito e que não pretendia ficar com ninguém, ela foi lá e repassou tudo pro corls . Ele não convencido do fora que eu tinha dado nele resolveu aparecer com flores e caixa de bom bom uns 3 dias depois, pediu se eu queria NAMORAR COM ELE , e eu disse "desculpa eu só quero amizade sabe" tentei não ser muito grossa mesmo com minha paciência já esgotada (aceitei os presentes por educação ) . Uma semana depois do ocorrido eu estava descendo a escada (Minha sala fica no andar de cima) quando eu cruzo PERTO do corls e ele fica me olhando fixamente , até aí tudo bem, fomos lanchar e adivinha só.... ELE INVENTOU PRA ESCOLA TODA QUE EU E ELE HAVIAMOS SE BEIJADO SEM QUERER NA ESCADA , eu fui tirar satisfação com ele e ele apenas riu , isso pra mim foi o limite . Eu disse a ele " vc não tem um pingo de maturidade, já não basta as outras mentiras que vc havia inventado de que a gente estava namorando, já disse que não quero nada com vc , vc é um merda mesmo , um inútil, vc não percebe que eu não quero nada com vc , aliás, descobri que você inventou que beijou uma menina pra fazer "ciúmes" em mim mas desconfiei até por que você não conseguiria pegar alguém como ela sendo um completo idiota . Pra mim chega nunca mais olha na minha cara eu te odeio. " Minha amiga karls disse que eu havia pegado pesado com ele , que ele estava muito triste querendo até se matar , e eu disse que não me importava. Acabou que ele mudou de turno e minha amiga karls disse que ele ainda gosta de mim mesmo depois de tudo . E aí ? Fui babaca por falar tantas coisas pesadas pra ele?
View Poll
submitted by Anafronza666 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 04:40 jhinjhinjinx Sou a babaca por ter saído escondido de casa para ver meu namorado?

Olá Luba, editores, gatas, restos de papelões e turma que está a ver. Quero começar essa história com um aviso: ISSO FOI ANTES DO CORINGA E QUARENTENA!
Bom, antes quero dar um pequeno contexto em como fui criada. Desde quando nasci, meus pais SEMPRE passavam a mão na minha cabeça falando que estava tudo bem e que qualquer problema que eu tinha, eu pudia ir correndo para eles que iriam resolver (pais super protetores resumindo), sempre dependia deles. Eles nunca conversavam sobre assuntos necessários e importantes da vida como sexualidade, futuro, amor, sentimentos, tudo que, na cabeça deles, não me faria mais "pura" (pra vocês terem noção, eu só fui saber o que era menstruação quando eu tive aos 9 anos COM UMA AMIGA EM CASA e eu desesperada falando "MÃE, MINHA PIRIQUITA TA SANGRANDO, EU VOU MORRER"; ou quando eu estava na loja do meu pai, ele atendendo cliente e eu berrei "PAI, O QUE É PÊNIS????" ai eu pesquisei no Google e caiu a ficha).
Enfim, moro em apartamento por 18-19 anos sem saber muito como realmente era a vida, andar sozinha por qualquer lugar (nem mesmo no quarteirão de casa) nunca foi uma opção, minha mãe falava que ia junto, meu pai ou meu irmão mas eu SEMPRE tinha que estar acompanhada (já meu irmão nunca precisou disso k, ja vão entender porque falei isso); Então, comecei a ficar mais "rebelde" por assim dizer, minha depressão começou a aparecer com o bullying na escola, minha mãe me batendo por eu chorar porque não queria voltar naquela escola pois era cara e meus pais não tinham condições de ficar pagando escola sendo que eu não ia (surpresa, repeti de ano), assim foi minha pré-adolescência.
Desde quando comecei a entrar na fase emo, minha mãe ficava puta comigo por querer fazer um piercing mas falava "espero que doa pra você aprender e nunca mais fazer isso" resultado: alguns anos depois furei meu septo. Então ela sempre gosta que eu quebre a cara pra poder aprender as coisas, já meu pai nunca fazia nada, ficava no quarto dele quando me ouvia chorar e começava a rezar desejando meu bem (meus avós por parte de pai são pastores).
Bem, quando fiz meus 18, comecei a namorar o Carls e ele foi/ é a pessoa que começou a abrir meus olhos sobre a realidade do mundo, porem ele entrou na pior crise possível, tentou se matar 2 vezes e quando eu queria ir ver ele no hospital (graças a deus ele conseguiu pedir ajuda e ele ficou alguns dias internado) meus pais não deixavam de jeito algum eu sair pra ver ele, falando que era mentira, que não era problema meu, não devia me preocupar (sendo que quando eu via ele depois do acontecido, dava pra ver com clareza os cortes nos braços e pernas dele).
Nisso passou algumas semanas e a segunda vez aconteceu, com um pouco mais de confiança que eu tinha, chamei um uber as 11 da manha pra ir na casa dele, ajudar mas eu não contei pra minha mãe (que estava dormindo em casa) e quando ela me mandou mensagem, menti pra ela falando que estava com um dos meus melhores amigos só que ela sabia que não era verdade. Algumas horas depois, minha mãe chega com meu irmão no carro e começa a berrar comigo falando que eu tava parecendo uma ladra, que "você não tem mãe em casa pra avisar né?" na frente da casa do Carls, fazendo o maior espetáculo, os vizinhos olhando tanto que até a minha sogra foi ver o que tava acontecendo, Carls falou cara a cara com minha mãe, me defendendo falando que eu não posso mais ficar trancada dentro de casa esperando eles fazerem mais coisas por mim, etc.
Acabou que fui pra casa ouvindo sermão, xingo, tudo que é possível na meia hora de viagem que é do ap pra casa dele (fiquei quieta o tempo todo). Quando cheguei em casa, fui direto pro meu quarto sem olhar mais na cara de ninguém até as 18 que foi o horário que meu pai chegava do serviço, ai o show começou, fiquei falando que EU tinha pagado o uber, EU fui até lá, que eu tinha que ir lá se não dessa vez o Carls realmente ia morrer por conta do estado físico e emocional dele. Meus pais usaram o típico argumento "enquanto você estiver no meu teto, eu mando aqui e na sua vida" só que assim, querendo ou não, não foram eles que bancaram a viagem, não foram eles que estavam vendo o estado que o Carls tava. Ai meu pai lança A BRABA falando "eu não acredito que ele fez tudo essas coisas" meu sangue ferveu na hora, então eu falei "você viu o que eu vi? você ouviu o que eu ouvi? não né? então não julga as coisas/ pessoas que tu não tem a minima noção de como é/são" porque eu mesma já quase morri e meus pais até hoje não sabem disso, esses assuntos realmente mexem comigo de qualquer jeito, mas ouvir aquilo sair do meu pai mostrou a empatia inexistente que ele tinha tanto pelo Carls quanto pra qualquer outra pessoa passando pela situação.
Meu pai foi o que eu mais bati de frente porque minha mãe já tinha falado "deixa ela com esse menino, depois eles terminam quero ver pra quem ela vai correr" então meu pai lança mais uma pérola falando "primeiro que mulher só tem independência aos 21 anos, então não adianta falar que você tem 18 porque ainda é uma criança" lembram que eu falei que só eu precisava andar acompanhada? pois então, nesse momento fiz igual a Lolly, eu apontei na cara dele e falei "você é um MAXISTA!" Isso quebrou muito ele, acho que nunca tinha escutado algo assim principalmente da filha, então ficou inventando desculpinha e se perdia no meio das palavras (e todos aplaudiram, mentira).
Hoje em dia, meus pais colocaram mais um cadeado na porta de casa pra eu não fazer de novo e até hoje sou vista como a completa errada, sem noção, senso e sem respeito pelos meus pais (minha mãe é a unica que fala normal comigo e realmente ta se "preocupando", me fazendo comer e beber água porque faz algumas semanas que estou em uma dieta extremamente radical enquanto meu pai e meu irmão nem se quer olham pra mim).
Depois dessa história longa pra cacete (que ainda tem muito mais também KKKKK) o que vocês acham? Eu sou a babaca?
OBS.: eu entendo completamente minha mãe ter perdido o temperamento quando me viu la na casa do Carls por estar preocupada mas ela não podia pelo menos pegar e guardar pra explodir no carro ou em casa já que ela sempre fez isso?;
OBS.2: também não acordei a minha mãe (sei que deveria ter falando aonde eu realmente ia, foi errado eu querer mentir mas fiz isso porque sabia que iriam me impedir de qualquer forma) pois estava com medo do que Carls poderia fazer, já que ele não me respondia mais, querendo ou não, a vida dele estava em jogo naquele momento, se eu parasse pra explicar, poderia ser tarde demais. E menti que estava com meu melhor amigo porque minha mãe sempre confiou muito nele entao como eu queria passar o máximo de tempo com Carls pra acalma-lo e mostrar que ainda tem muita vida pela frente (o que deu certo e estamos juntos até hoje);
OBS.3: NÃO ESTAMOS CORTANDO A QUARENTENA PARA VER UM AO OUTRO.
View Poll
submitted by jhinjhinjinx to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.05 02:33 99287593 Eu não sei o que fazer

Oi, alguém
(Esse desabafo vai ser grande,só pra avisar msm e desculpa se tiver erros de ortográfia)
Aos 10 anos eu fui assedia(hj tenho 16)por um cara bem mais velho que eu,minha mãe me disse que eu cheguei em casa correndo desesperada com o rosto roxo e o corpo frio,eu que era uma criança que fazia amizades com qualquer pessoa e era super extrovertida e animada com todo virei muito anti-social extremamente tímida para tudo (nessa parte de ser tímida eu já melhorei bastante hoje em dia) não sei como explicar essa parte,eu nunca fiz parte de um "grupinho" na escola nunca me senti à vontade em nem um lugar não conseguia sentir abraçada nem por minha família o único lugar que eu me sentia "livre" era meu quarto lá eu podia ser eu. Mas eu segui minha vida,mesmo que todos a minha volta não se importassem comigo eu simplesmente fingia que não me importava,só no ano passado que entrei em uma nova escola para fazer o ensino médio eu pela primeira vez me senti acolhida em tantos anos fiz meus primeiros amigos e desistir de negligenciar a minha saúde mental e fui procurar um psicólogo depois de alguns meses eu via que não mudava muito coisa a minha psicóloga me recomendou o psiquiatra e ele disse que tinha um início de depressão e ansiedade, quando voltei para a escola no mesmo dia eu acho q foi uns dos momentos mas emocionante da minha vida,todos meus colegas começaram a grita pois eu tinha indo a aula,eu quase chorei pois na minha escola passada quando disse que eu não ia estudar na mesma escola que todos meus antigos colegas eles nem ligaram sendo que literalmente qualquer favor que me pedisem eu fazia ( tenho esse problema de não saber disser não) quando alguém tinha dúvida em alguma matéria eu ajudava as vezes nem precisa pedir eu ia lá e fazia o favor mas quando uma outra colega minha (que hoje é minha melhor amiga) foi todos se humilharam para ela não ir (sim,eu fiquei com inveja) então quando vi que eles sentiram minha falta?Nossa!isso foi muito importante para mim. Comecei a tomar os remédios que o psiquiatra me receitou ele disse algo que eu sempre escuto ao contrário que sou corajosa por procurar eu mesma ajuda,já faz uns meses que tomo os remédios mas não mudou muito coisa,eu pensei em me suicida isso só não aconteceu pois no mesmo dia morreu a avó e minha vizinha de um amigo meu então não deu muito certo.A cada dia que se passa eu fico mais deprimida nem consigo chorar mais,tudo é tão sem graça e sem vida para mim,meus amigos não ajudam muito também,mas eles não tem culpa nisso eu que não gosto de falar sobre meus sentimentos então não tem nem como eles saberem.
Eu acho q esse texto ficou um pouco sem sentido, desculpa aí mas o motivo de eu fazer ele é que eu não consigo falar meus sentimentos com ninguém sem ser com a minha psicóloga (as vezes nem com ela) então eu achei que qualquer pessoa que tivesse coragem de ler tudo isso podesse me ajudar,como eu faço para me sentir melhor?eu não sei pq eu me sinto assim tenho todo do bom e do melhor tenho amigos,pais que me apoiam minha família é muito amorosa comigo eu realmente não tenho com o que reclamar mas pq eu não me sinto bem com td isso?pq parece que tá faltando algo? Se você poder me ajudar eu agradeceria muito e nossa vc realmente gosta de ler ou de ajudar ao próximo se vc leu tá isso parabéns eu te acho uma pessoa incrível só por ter lido muito obrigado.
submitted by 99287593 to desabafos [link] [comments]


Como Deixar Ele Querendo Mais (Na Cama) 8 Sinais que ele não está Querendo Nada Com Você 7 COISAS QUE AS GAROTAS GOSTAM NOS GAROTOS Como conquistar uma garota da faculdade Como Chegar em uma Menina na Escola - Conquistar na Escola AS MULHERES AMAM ISSO ! Como ir de Bonzinho para Alpha em 5 Passos 5 DICAS PARA CONQUISTAR O CRUSH NA ESCOLA

COMO PROVOCAR UM CARA E FAZê-LO PERCEBER O QUANTO ELE ...

  1. Como Deixar Ele Querendo Mais (Na Cama)
  2. 8 Sinais que ele não está Querendo Nada Com Você
  3. 7 COISAS QUE AS GAROTAS GOSTAM NOS GAROTOS
  4. Como conquistar uma garota da faculdade
  5. Como Chegar em uma Menina na Escola - Conquistar na Escola
  6. AS MULHERES AMAM ISSO !
  7. Como ir de Bonzinho para Alpha em 5 Passos
  8. 5 DICAS PARA CONQUISTAR O CRUSH NA ESCOLA

This feature is not available right now. Please try again later. ... 6 Hábitos de um Homem Atraente que Atrai as Mulheres - Duration: ... 5 Erros que Você Ainda Comete no Whatsapp - Duration: ... Melhor ainda, quando você pergunta a um cara sobre o que ele mais gosta na cama, isso te dá uma vantagem absurda porque agora você tem um mapa completo para dar um prazer absurdo para ele. 5 DICAS PARA CONQUISTAR O CRUSH NA ESCOLA ... COMO PROVOCAR O CRUSH NA ESCOLA ft. MillyUmaCoisas - Duration: ... 5 COISAS QUE EXCITAM MUITO UM HOMEM NA CAMA - Duration: 6:35. Muita gente vai na faculdade apenas pensando em estudar e se esquece de se vestir de forma atrativa, se você deseja conquistar algumas gatas na faculdade, então é essencial que você prese pelo ... AS MULHERES AMAM NA HORA H - Duration: ... SINAIS QUE ELA(E) ESTÁ AFIM DE VOCÊ - Duration: 6:13. Bia Indelicada 70,281 views. 6:13. 5 PASSOS PARA DEIXAR ALGUÉM ... 👆COMO MASTURBAR UMA ... Aprenda como chegar em uma menina na escola e usar dicas para Conquistar uma Menina na escola da Maneira correta, Evitar levar fora de uma menina pode parecer difícil, mas com as Dicas do Canal ... TÁ NA CARA! - Duration: 10:17. ... Como FAZER um HOMEM se APAIXONAR por VOCÊ ... 33 Sinais Certeiros Que Ele Nao Gosta De Você (2020) - Duration: 30:29. Sejam bem vindos ao Top e no vídeo de hoje listamos 7 coisas que as garotas gostam nos garotos, caso você nunca tenha se dado bem em uma conquista se acomode e aprenda como chamar a atenção ...